Conecte-se connosco

Coimbra

Prisão preventiva para três suspeitos de crimes de violação em Coimbra e Sintra

Publicado

em

Três homens com 18, 20 e 35 anos, suspeitos de crimes de violação, ocorridos na cidade de Coimbra e no concelho de Sintra, ficaram em prisão preventiva, informou hoje a Polícia Judiciária (PJ).

Em comunicado, a PJ informa que deteve, em Coimbra, através da Diretoria do Centro, dois homens, estudantes, com 18 e 20 anos, “pela presumível autoria de crimes de violação e de roubo, de que foram vítimas quatro mulheres e um homem”.

“Os suspeitos abordaram as vítimas num parque da cidade de Coimbra, na margem esquerda do rio Mondego, e, sob ameaça de arma branca, subtraíram-lhes os objetos de valor, tendo, duas delas, sido constrangidas a sofrer e a praticar atos sexuais de relevo”, adianta a fonte.

Os detidos foram presentes a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhes sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

No concelho de Sintra, a PJ, através da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo, procedeu à identificação, localização e detenção fora de flagrante delito de um homem, com 35 anos, “por existirem fortes indícios da prática dos crimes de violação, sequestro, coação e violência doméstica” sobre a ex-mulher.

“A vítima, com 32 anos de idade, mãe de três filhos menores em comum com o agressor sexual, era já alvo de violência doméstica, com reiteradas agressões físicas e psicológicas, desde há bastante tempo e mesmo após a concretização do divórcio”, adianta a PJ em comunicado.

A fonte lembra que o homem já tinha sido detido, no primeiro semestre de 2021, pela alegada prática de crime de violência doméstica, perpetrado sobre a mesma vítima, “tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de prisão domiciliária e afastamento da vítima que, entretanto, cessou”.

“Na passada terça-feira, o suspeito, mediante a ameaça de uma arma branca, perpetrou os crimes de violação, sequestro e coação, ameaçando ainda matar a vítima”, acrescenta a PJ.

O arguido foi presente a primeiro interrogatório judicial, no Tribunal de Instrução Criminal de Sintra, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link