Conecte-se connosco

Desporto

Presidente do ACP diz que está por decidir local do rali de Portugal em 2015

Publicado

em

O presidente do Automóvel Clube de Portugal (ACP) admitiu hoje à Lusa que ainda não foi decidido se o Rali de Portugal se mantém, em 2015, no Algarve, ou muda para o Norte do país, dependendo dos apoios.

“Estão em aberto as duas possibilidades. Se o Estado pagar, se as câmaras tiverem os troços e pagarem a parte do policiamento, nós temos o rali pronto, quer no norte, quer no sul”, observou Carlos Barbosa.

À Lusa, o presidente do ACP (entidade organizadora do rali) especificou que têm de ser garantidos os 1,5 milhões de euros do Turismo de Portugal, para além do apoio das autarquias na preparação dos troços e policiamento.

“O grande custo da vinda para o Norte é o policiamento, porque é um risco com este público todo”, frisou.

Barbosa reconheceu que, se forem reunidas todas as condições exigidas pela organização, a prova poderá mudar para o Norte.

“Se houver isso, para o ano estamos cá em cima”, acentuou.

O ACP convidou hoje vários presidentes de câmara do Norte do país para assistirem ao WRC Fafe Rally Sprint.

No troço estiveram representantes das autarquias de Fafe, Amarante, Lousada e Oliveira do Hospital.

“Nós convidámos para virem aqui, para falarem connosco. Dos que vieram aqui, temos o apoio para o rali no Norte”, disse à Lusa, explicando que, após o Rali de Portugal, vai-se fazer uma nova ronda pelos municípios, nomeadamente junto dos que mudaram de gestão nas últimas eleições autárquicas.

Só após esse trabalho, vincou, é que será decidida a localização da prova em 2015.

O presidente do ACP elogiou, por outro lado, a forma como decorreu a prova de hoje em Fafe.

“Foi um espetáculo extraordinário. Tivemos brindes para toda a gente, desde peões do Ogier no Confurco, até saltos do Ostberg e do Kris completamente loucos”, comentou.

Carlos Barbosa disse ter assistido a um evento que teve “um grande sucesso”.

“Tivemos realmente um espetáculo extraordinário. Mais uma vez, obrigado Fafe”, exclamou.

Segundo a organização, terão assistido à prova cerca de 140.000 pessoas.

O campão do mundo de ralis, Sébastien Ogier, da Volkswagen, venceu aquela competição, tendo sido mais rápido meio segundo do que o estoniano da Ford Ott Tanak.

Na terceira e última passagem pelo troço da Lameirinha o piloto do Polo WRC registou o tempo de 3.40 minutos, tirando quase três segundos ao resultado da segunda passagem.

O terceiro melhor foi o espanhol da Hyundai Dani Sordo, o vencedor do ano passado. Gastou mais 2,2 segundos do que o líder do mundial de ralis para fazer os poucos mais de seis quilómetros do troço da Lameirinha, em Fafe.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link