Conecte-se connosco

Política

Presidente da República espera que idas de António Guterres à Rússia e Ucrânia levem à paz “mais depressa”

Publicado

em

 O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, expressou hoje o voto de que as idas do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, a Moscovo e Kiev, conduzam à paz na Ucrânia “mais depressa do que devagar”.

Falando na cerimónia do centenário da Misericórdia de São João da Madeira, no distrito de Aveiro, Marcelo Rebelo de Sousa quis “formular o voto de que a próxima visita do secretário-geral das Nações Unidas à Federação Russa, e certamente depois também o contacto com a República da Ucrânia, possa permitir a abertura de um caminho que conduza à paz”.

“E que conduza à paz mais depressa do que devagar”, acrescentou o chefe de Estado perante um auditório cheio no município sanjoanense, pertencente à Área Metropolitana do Porto (AMP).

Para Marcelo Rebelo de Sousa, a rapidez na resolução do conflito “significaria não apenas o abreviar do sofrimento do povo martirizado da Ucrânia, mas também das angústias, das preocupações e das perturbações graves na vida de milhões” em todo o mundo, “e de milhões de portugueses em particular”.

Posteriormente, em declarações aos jornalistas à margem da cerimónia, o chefe de Estado conasiderou “um bom sinal” a possibilidade de contacto com os presidentes russo e ucraniano, e “abre uma janela de esperança”.

Marcelo Rebelo de Sousa frisou que “tem havido declarações” da parte russa “no sentido de continuar a guerra e até dizer o que quer fazer com essa guerra, na parte sul da Ucrânia”, desejando ver “uma pista de aproximação entre as duas partes” no conflito, que “abrevie a guerra” e ponha fim “à segunda fase da guerra”.

“Vamos esperar que isso seja possível e que haja, verdadeiramente, da Federação Russa, uma abertura consistente, efetiva, e verdadeira ao diálogo”, disse o Presidente da República.

Questionado acerca de uma possível visita a Kiev, Marcelo Rebelo de Sousa mostrou abertura, considerando que a disponibilidade a essa viagem “seria também a do Presidente da República Portuguesa”.

“Na medida em que venha a ser possível, e venha a ser entendido como útil, acho que fica muito bem esse passo, porque o Presidente Zelensky fez determinados pedidos a Portugal e Portugal tem correspondido a esses pedidos mais variados”, acrescentou.

No entanto, o chefe de Estado português disse que atualmente não há nenhum plano para essa eventual viagem.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, visitará Moscovo, na Federação Russa, no dia 26 de abril, onde irá encontrar-se com o Presidente russo, Vladimir Putin.

Segundo nota enviada pelas Nações Unidas na sexta-feira, Guterres terá em Moscovo uma reunião de trabalho e um almoço com o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, e será recebido pelo Presidente Vladimir Putin.

Hoje, foi também anunciado que António Guterres vai visitar a Ucrânia na próxima semana, após reunir-se em Moscovo com o Presidente russo Vladimir Putin, informou o porta-voz do líder da ONU.

“O secretário-geral irá visitar a Ucrânia na próxima semana. Terá uma reunião de trabalho com o ministro dos Negócios Estrangeiros, Dmytro Kuleba, e será recebido pelo Presidente, Volodymyr Zelenskyy, a 28 de abril”, pode ler-se na nota enviada às redações.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade