Conecte-se connosco

Desporto

AAC quer requalificação das residências de estudantes

Publicado

em

O presidente eleito da Associação Académica de Coimbra, Cesário Silva, que toma hoje posse, afirmou que vai lutar pela requalificação das residências, mais bolsas e maior oferta do prato social nas cantinas da Universidade.

“As residências deveriam ser requalificadas. Algumas têm projetos para isso, mas é preciso os projetos acontecerem. Existem residências que não têm condições para os estudantes estudarem lá e isso traz muitas complicações”, disse à agência Lusa Cesário Silva, que toma posse hoje, às 18:30, como novo presidente da Associação Académica de Coimbra (AAC).

Cesário Silva, estudante de 24 anos de Engenharia Informática, foi eleito em novembro presidente da AAC, com 51% dos votos.

Para o dirigente estudantil, para além das residências, é necessário reivindicar “uma maior oferta do prato social nas cantinas”, realçando que as filas “são extensas”.

“Queremos melhorar as condições e o sucesso académico de todos os estudantes e garantir que não há obstáculos financeiros” no seu percurso na Universidade de Coimbra, acrescentou, realçando que, durante o seu mandato, também irá lutar por “um maior número de bolsas”.

Sobre como reivindicar essas medidas, Cesário Silva referiu que o método de ação “terá de ser aprovado em Assembleia Magna”, mas considerou que é necessário “explicar o porquê” de os estudantes reivindicarem para posteriormente avançarem com ações de luta na rua.

Num campo interno, o presidente eleito da AAC pretende perceber, após a tomada de posse, a situação financeira da Associação, considerando que é necessário avançar-se com uma requalificação do edifício-sede, assim como garantir “qualidade e capacidade de trabalho” para todas as secções culturais e desportivas, bem como núcleos de estudantes.

“Achamos que a casa tem problemas de gestão que têm de ser colmatados e têm de ser uma prioridade. Queremos unir a casa e aproximar a casa dos estudantes e da cidade”, frisou.

Questionado sobre como justifica a vitória, ao ter derrotado uma lista encabeçada pelo vice-presidente da direção cessante (tem sido quase regra nos últimos anos um vice-presidente candidatar-se e vencer as eleições da AAC), Cesário Silva respondeu que o seu projeto conseguiu “ouvir as várias realidades da Universidade de Coimbra e da Académica”.

“Achamos que a vitória se deve muito à capacidade de as pessoas se sentirem representadas e de querermos resolver os problemas do agora e do presente”, vincou.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link