Conecte-se connosco

Região

Prémio de boas práticas de envelhecimento ativo no Centro para quatro projetos

Publicado

em

A edição de 2022 do Prémio de Boas Práticas de Envelhecimento Ativo e Saudável na Região Centro premiou quatro projetos, anunciou hoje a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC).

O Prémio de Boas Práticas de Envelhecimento Ativo e Saudável na Região Centro é promovido pela CCDRC, em colaboração com os consórcios [email protected] e AgeINfuture.

O “Laboratório do Envelhecimento”, promovido pela Câmara Municipal de Ílhavo, “Mais Alternativas Sénior”, da Associação de Bem Estar Social e Recreativa de Alpedriz, “5.0 cinco ponto zero Programa de Capacitação para o Empreendedorismo”, apresentado pela Fundação Bissaya Barreto e pelo Instituto Pedro Nunes, e “Estou Cãotigo”, da Associação Beira Aguieira de Apoio ao Deficiente Visual, são os quatro projetos vencedores da quinta edição do concurso.

Este concurso tem como objetivo “aumentar a divulgação e o reconhecimento de projetos e iniciativas que promovem o envelhecimento ativo e saudável na região Centro”, afirma a CCDRC numa nota de imprensa enviada hoje à agência Lusa.

O projeto “Laboratório do Envelhecimento”, que venceu na categoria Conhecimento+, baseia-se num equipamento municipal com um caráter investigativo e artístico, proporcionando a criação de novos projetos e a produção de conhecimento através de diferentes parceiros académicos e tecnológicos.

O “Mais Alternativas Sénior” integra terapias alternativas focadas na individualidade de cada pessoa, sendo uma “solução integrada e direcionada para as necessidades do idoso, com base na prestação de cuidados de saúde especializados”.

Na categoria Vida+ foram vencedoras as boas práticas dos projetos “5.0 – cinco ponto zero: Programa de Capacitação para o Empreendedorismo” e “Estou Cãotigo”.

De acordo com a CCDRC, a iniciativa “5.0 – cinco ponto zero: Programa de Capacitação para o Empreendedorismo” consiste numa formação e mentoria, em que a estrutura desenvolvida foi concebida originariamente para seniores.

O programa promove o empreendedorismo pelo apoio à criação de negócios por pessoas com mais de 50 anos, que têm uma ideia de negócio e querem desenvolver competências de empreendedorismo.

Já o projeto “Estou Cãotigo” visa designadamente a intervenção junto de idosos institucionalizados ou em situação de isolamento, através da realização de intervenções assistidas por cães, com vista ao seu estímulo cognitivo, emocional e motor, promovendo, dessa forma, a manutenção dos seus índices de bem-estar e de qualidade de vida.

Os quatro vencedores foram hoje revelados, em Coimbra, no 9º Congresso do Envelhecimento Ativo e Saudável da Região Centro, que contou com a presença da ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.

A governante frisou hoje que há um “caminho longo” a percorrer no na área do envelhecimento ativo, apesar dos avanços dos últimos anos.

“Não temos uma sociedade preparada para os mais velhos”, admitiu Ana Abrunhosa, na sessão de abertura do congresso.

Em declarações aos jornalistas, após a sua intervenção, a ministra reiterou que “há um caminho longo a percorrer”, embora se registe “uma evolução extraordinária” neste campo, designadamente ao nível do conhecimento, na tecnologia e na forma como a sociedade se organiza face aos novos desafios do envelhecimento ativo e saudável.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com