Conecte-se connosco

Desporto

Portugal pode jogar dois jogos do Euro2020 com 100% de público na Hungria

Publicado

em

A seleção portuguesa de futebol, campeã europeia, tem duas partidas do Euro2020 agendadas para Budapeste, sendo a Hungria o único país que, até agora, manifestou vontade de aproveitar a lotação máxima do estádio durante a competição, devido à pandemia.

Portugal, que defende o título conquistado em 2016, estreia-se no Grupo F frente à Hungria, em Budapeste, em 15 de junho, defrontando, depois, a Alemanha, em Munique, no dia 19, e a França, atual campeã do mundo e vice-campeã da Europa, em 23 de junho, de novo em Budapeste.

Segundo revelou hoje a UEFA, a capital húngara é uma das oito cidades-sede do Euro2020 que já se comprometeram a receber espetadores, enquanto as restantes quatro, Munique, Roma, Bilbau e Dublin, ainda não o fizeram e podem ficar fora da prova.

Além disso, até ao momento, Budapeste é a única que pretende preencher a capacidade do estádio Puskás Arena a 100 por cento, com a UEFA a destacar que o plano dos húngaros, cujo país se encontra bastante avançado na campanha de vacinação contra a covid-19, prevê lotações esgotadas “desde que os espetadores cumpram as rigorosas condições para entrar no estádio”.

Na passada sexta-feira, o primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, prometeu que todos os cidadãos que o solicitarem serão vacinados até ao início do torneio, podendo participar no evento sendo já portadores do respetivo cartão de vacinação.

São Petersburgo (Rússia) e Baku (Azerbaijão), por sua vez, têm previstas lotações de 50 por cento, enquanto Amesterdão, Bucareste, Copenhaga e Glasgow se comprometeram com preenchimento das bancadas entre 25 e 33 por cento e Londres com “pelo menos, 25 por cento” para as três partidas da fase de grupos, com a expectativa de um aumento do número de espetadores para os jogos das meias-finais e da final.

Segundo o organismo que tutela o futebol europeu, Munique, Roma, Bilbau e Dublin, têm um prazo até 19 de abril para fornecer informações adicionais sobre os seus planos e será tomada uma decisão final nessa data sobre a realização dos jogos que estavam previstos nas mesmas.

A Alemanha, a Itália, a Espanha e a Irlanda correm assim o risco de perder o seu estatuto de países anfitriões, tendo em conta que a UEFA exige, desde meados de março, que os jogos do Campeonato da Europa tenham público nas bancadas.

O Campeonato da Europa de 2020, previsto para o verão do ano passado, foi adiado para o período entre 11 de junho e 11 de julho de 2021, devido à pandemia de covid-19.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade [video width="1280" height="1280" mp4="https://www.noticiasdecoimbra.pt/wp-content/uploads/2020/11/banner-NDC-radioboanova.mp4" loop="true" autoplay="true" preload="auto"][/video]
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com