Conecte-se connosco

Coimbra

Pombos ajudam a combater isolamento social

Publicado

em

O presidente da Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC), José Jacinto, afirmou hoje que, apesar das limitações impostas pelo estado de emergência, os columbófilos nacionais estão a treinar os seus pombos e que isso “torna o isolamento menos doloroso”.

“As pessoas estão fechadas em casa há mais de um mês e o nosso desporto é praticado precisamente a partir de casa, pelo que este tipo de atividade pode contribuir para minimizar o problema do isolamento”, diz o dirigente em entrevista à agência Lusa, explicando que por todo o país mais de dois milhões de pombos continuam a fazer os seus voos diários.

“Nesta altura, devido ao estado de emergência, só são permitidos treinos à volta do pombal, em que soltamos os pombos para voar 40 a 50 quilómetros. Todos os nossos sócios estão a treinar os seus pombos de manhã e à tarde, o que torna o isolamento menos doloroso”, conta José Jacinto, que acrescenta ainda que há muitas famílias a aproveitarem estes momentos para conviverem.

Apesar dos animais, e dos columbófilos, se manterem ativos, todas as competições foram adiadas. O presidente da FPC considera que foi a decisão mais “sensata”, dado o evoluir da situação pandémica de covid-19, mas realça que a columbofilia é um desporto pouco exposto ao risco de contágio e que, por isso, alimenta a esperança de rapidamente voltar à normalidade.

“Os pombais são em casa de cada columbófilo, que cinco a seis vezes por semana faz o treino em sua casa, de forma individual. Depois, um dia por semana, leva os animais até ao clube, onde são encestados, transportados e largados para regressarem a voar para casa. Por aqui vê-se que não é um desporto que provoque grandes aglomerações de pessoas”, considera o presidente da FPC.

Para o responsável federativo, o “único risco que existe é aquando do período do encestamento”, que alega que facilmente poderia ser evitado com a introdução de escalas e horários entre os praticantes da modalidade.

José Jacinto revela que os cerca de 10 mil sócios da FPC aguardam ansiosamente pelo levantamento das medidas de confinamento, e consequente regresso das competições, que, segundo o presidente dos columbófilos, está a ser preparado para meados de maio.

“Estamos a apontar o retomar as competições para a primeira quinzena de maio, depois de terminado o estado de emergência. Nessa altura, se as condições sanitárias e a lei o permitirem, queremos reiniciar a nossa atividade”, confirma.

O dirigente realça que tal só acontecerá se as medidas de restrição ao convívio social hoje instituídas forem alteradas e avisa que, se tal não acontecer, pode mesmo estar em causa o cancelamento de provas.

“Também temos de nos preocupar com o bem estar dos animais e sabemos que chegando ao mês de julho, com o calor, não será possível competir. Entre meados de maio e finais de junho é o período em que poderemos retomar a nossa atividade”, confirma.

Para já, os animais continuam a voar diariamente e José Jacinto frisa que a principal preocupação é que as aves não percam massa muscular.

Aos columbófilos resta esperar e, enquanto o fazem, podem participar num passatempo promovido pela FPC, o #pigeonscovidchallenge, que desafia os fãs da modalidade a mostrarem, através de vídeos e fotos, como estão a viver este período de isolamento.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade [video width="1280" height="1280" mp4="https://www.noticiasdecoimbra.pt/wp-content/uploads/2020/11/banner-NDC-radioboanova.mp4" loop="true" autoplay="true" preload="auto"][/video]
Publicidade
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com