Mundo

Polícia mata homem após tiroteio e horas de impasse

Notícias de Coimbra com Lusa | 1 mês atrás em 16-06-2024

Uma equipa tática da polícia estadual do Maine matou um homem num telhado, no sábado, após horas de impasse e após disparos contra os agentes, segundo as autoridades.

PUBLICIDADE

Duas casas foram incendiadas e uma pessoa que lutou contra o homem aparentemente morreu, de acordo com a mesma fonte.

A polícia emitiu uma ordem para abrigo, no local, evacuou casas e encerrou uma parte da rua em Auburn, reavivando memórias de um tiroteio em massa há menos de oito meses, quando um homem armado matou 18 pessoas e feriu 13 no mais trágico tiroteio na história do Maine.

PUBLICIDADE

“Tem sido uma manhã trágica e intensa aqui em Auburn,” disse Timothy Cougle, subchefe da polícia.

Investigadores de incêndios disseram que restos humanos foram encontrados nos destroços carbonizados da casa e que ainda não foram identificados.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

A polícia afirmou que Leein Hinkley, 43 anos, tinha sido libertado dias antes, sob fiança, por violação da liberdade condicional.

Tentou invadir uma casa pouco antes da 01:00 de sábado e entrou em luta com um homem dentro da habitação. Uma mulher chamou o 911 (112) e fugiu pela janela quando ouviu tiros.

Os agentes da polícia de Auburn encontraram a mulher escondida ao fundo da rua, cerca de 10 minutos depois, e identificaram a pessoa que entrou em casa como sendo Hinkley.

Os polícias ouviram gritos dentro da casa e viram chamas a sair das janelas e a envolverem o prédio.

O subchefe da polícia referiu que Hinkley disparou várias vezes contra os agentes e foi ouvido a gritar do interior. A polícia de Auburn chamou a equipa tática.

Pouco antes da 01:30, outra casa na rua ficou em chamas. Hinkley fugiu, escondendo-se rapidamente numa garagem vizinha e escapando depois para o telhado de um apartamento na mesma rua, onde começou a “berrar e a gritar”, enquanto levantava uma arma, relatou a polícia.

Fotografias do acontecimento mostram vários veículos estacionados junto às casas, também queimados, incluindo um autocarro escolar.

O coronel William Ross, da Polícia Estadual do Maine, informou que uma equipa tática localizou Hinkley no telhado, com uma arma na mão, pouco após as 05:30, e que dois agentes o abateram momentos depois.

Ross não forneceu detalhes sobre o que aconteceu durante o impasse de quatro horas.

O capitão Chris Moretto, do Departamento de Incêndios de Auburn, revelou que ocorreram três explosões por volta das 02:15 que se crê estarem relacionadas com o incêndio, noticiou o Lewiston Sun-Journal.

Outra explosão foi ouvida pouco antes das 03:00, acrescentou o jornal.

Ross indicou que Hinkley estava sob custódia por violação da liberdade condicional relacionada com a condenação, em 2011, por violência doméstica e agressão agravada, bem como por uma recente prisão por violência doméstica.

No entanto, foi libertado na quarta-feira, depois de um tribunal reduzir a fiança para 1.500 dólares, com condições, incluindo prisão domiciliária numa residência em Lewiston.

O Lewiston Sun Journal noticiou, em 2012, que Hinkley, de Sabattus, foi sentenciado a 20 anos pelo esfaqueamento da ex-namorada e de uma pessoa que tentou intervir.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE