Política

Polémica: Centenas de adesões ameaçam coesão do Secretariado do PS de Coimbra

Rui Avelar | 1 mês atrás em 14-04-2024

O Secretariado da Federação distrital do PS/Coimbra reúne-se, terça-feira (16), e corre o risco de, pelo menos, 40 por cento dos seus membros se demitirem, caso o órgão não decida subscrever uma participação ao Ministério Público.

PUBLICIDADE

A sessão ocorrerá na sequência de outra, cujo desfecho consistiu num empate, disseram a Notícias de Coimbra (NDC) fontes partidárias.

Em causa está a inscrição de perto de três centenas de pessoas como militantes do PS de Condeixa-a-Nova, assunto que levanta dúvidas sobre o desempenho do vice-presidente da sobredita Federação, Daniel Antão.

PUBLICIDADE

Em recente reunião, o órgão executivo federativo, liderado por João Portugal, dividiu-se acerca de duas propostas: uma no sentido de do assunto ser dado conhecimento à entidade titular da acção penal (MP) e à Comissão Nacional de Jurisdição partidária, outra com vista à suspensão das adesões e apenas a participação à CNJ.

A inscrição da matéria na ordem de trabalhos do Secretariado da Federação distrital conimbricense do Partido Socialista ficou a dever-se a um pedido de esclarecimentos da autoria de António Ferreira, líder concelhio do PS/Condeixa.

PUBLICIDADE

Segundo fontes partidárias, o vice-presidente da Federação agiu à revelia do Secretariado ao dar aval à inscrição de centenas de militantes no âmbito de uma Concelhia partidária (a de Condeixa-a-Nova), cuja liderança deverá ser disputada pelo vereador António Ferreira e pela ex-autarca Liliana Pimentel.

Interpelado por escrito, sábado à tarde (13), por NDC, Daniel Antão não respondeu até ao começo da tarde de hoje (domingo, 14).

Há uma década, a inscrição fraudulenta de cidadãos no âmbito do  PS de Coimbra ditou a suspensão provisória de um processo do foro criminal a cerca de duas dezenas de militantes.

Related Images:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE