Conecte-se connosco

Portugal

Plataforma de Apoio a Jovens Ex-acolhidos assinala Dia do Acolhimento

Publicado

em

A Plataforma de Apoio a Jovens Ex-acolhidos (PAJE) vai comemorar o “Dia do Acolhimento”, pela primeira vez em Portugal, com várias iniciativas, com o intuito de nomeadamente trazer à discussão questões relativas às crianças e jovens.

À semelhança do que acontece noutros países desde 2016, esta iniciativa da PAJE irá comemorar-se em Portugal pela primeira vez, a 18 de fevereiro (assinala-se na terceira sexta-feira do mês de fevereiro).

A associação decidiu instituir este dia por perceber que “há uma série de questões que vão sendo acumuladas, digamos assim, que passam, por exemplo, pelo facto de os jovens não poderem regressar ao acolhimento”, entre outras questões, que fazem sentido serem “discutidas”, disse à agência Lusa, o presidente da direção da PAJE, João Pedro Gaspar.

“Uma vez que outros países já o fazem, Portugal não o faz, e acreditamos que grande parte da sociedade civil não tem consciência que existem cerca de 400 casas de acolhimento, que existem mais de seis mil crianças e jovens que estão em empregos do Estado e agora também às famílias, portanto, é uma oportunidade de haver uma discriminação positiva”, sublinhou.

A Plataforma de Apoio a Jovens Ex-acolhidos preparou um evento ‘online’ que conta com a participação de diversas entidades envolvidas no âmbito desta temática.

Esta não é só uma forma de alertar para preocupações desta associação, mas é “uma forma de também validar o trabalho de larguíssimas centenas de profissionais que diariamente dão o seu melhor no acolhimento”.

“O “Dia do Acolhimento” é uma oportunidade para nos unirmos na celebração dos direitos e da resiliência das crianças e jovens, das suas histórias e conquistas”, lê-se num comunicado da PAJE.

O evento conta ainda com a participação de jovem acolhidos e ex-acolhidos, com relatos de “trajetórias de resiliência e superação”.

Esta é uma maneira de “fazer com que quem está ou esteve acolhido sinta que está longe de estar sozinho”, adiantou, João Pedro Gaspar.

Outra das atividades previstas é a proposta de criação de uma assembleia de jovens, para serem discutidos vários assuntos designadamente sugestões de melhoria de procedimentos ou organização da casa de acolhimento, entre outros.

A associação desafiou as casas de acolhimento a assinalar o dia, por exemplo, através da confeção de um bolo ou da sugestão da ementa, por parte das crianças e jovens.

João Pedro Gaspar deu ainda nota de que foi criada uma moldura para as redes sociais para assinalar o dia.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link