Conecte-se connosco

Coimbra

Penela recebe formação para jovens que não estudam nem trabalham

Publicado

em

O município de Penela, no distrito de Coimbra, vai acolher um projeto de formação para jovens que não estudam, não trabalham, nem frequentam formação, numa iniciativa que abrange também os concelhos vizinhos de Condeixa-a-Nova, Soure e Miranda do Corvo.

Luís Matias

Promovido pelo Instituto Pedro Nunes, de Coimbra, o projeto NeetMaker, de “Capacitação e Estímulo à Empregabilidade e Inclusão Social”, tem como objetivo capacitar 100 jovens com idades entre os 20 e os 34 anos, até ao final de 2022, dos quais 35 deverão ingressar no mercado de trabalho ou constituir o próprio negócio.

“Este é um grupo de pessoas que precisa de uma resposta especializada, pois quem não estuda nem trabalha sente-se, de alguma forma, excluído da sociedade”, salientou o presidente da Câmara de Penela, na apresentação do projeto, que decorreu naquele concelho.

Segundo Luís Matias, que citou dados de 2018 do Eurostast, “estima-se que, nos quatro concelhos de abrangência do projeto, o universo de jovens naquela situação seja de 960 indivíduos (11,9% da população nessa faixa etária).

O autarca referiu que, neste momento, a taxa de desemprego é relativamente baixa nestes concelhos, mas nos próximos meses é expectável que surjam mais desempregados em consequência dos impactos da pandemia”.

“A candidatura tenta pegar num problema social e transformá-lo numa oportunidade para o jovem e para as entidades empregadoras, que necessitam de trabalhadores nestas áreas”, frisou.

O diretor executivo do HIESE – Habitat de Inovação Empresarial nos Sectores Estratégicos, em Penela, adiantou que a formação vai incidir na inovação tecnológica e empreendedorismo, cujos estudos “comprovam que são os motores de desenvolvimento económico”.

O projeto aposta nas competências para a transição digital, através de um programa “flexível e prático”, assente em sessões de trabalho, espaços de treino, residências criativas e desenvolvimento de projetos.

A representante regional do Centro do Portugal Inovação Social, Alexandra Neves, salientou, na sua intervenção, que no país o público-alvo a que se refere o NeetMaker “ainda é muito discriminado”.

O projeto, estimado em cerca de 330 mil euros, tem financiamento público a 70%, sendo o remanescente suportado pelo município de Penela.

A primeira iniciativa decorre no dia 23, estando as inscrições abertas para a formação, que não faz distinção entre jovens de baixas ou altas qualificações académicas.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com