Conecte-se connosco

Saúde

Penacova prolonga campanha com 3.300 doses de lampreia vendidas em “take-away”

Publicado

em

Mais de 3.000 doses de lampreia foram vendidas em três semanas pelo sistema “take-away” em Penacova, no âmbito de uma campanha que será prolongada até 16 de março, revelou hoje a Câmara Municipal.

Os oito restaurantes envolvidos na iniciativa, que deveria terminar no domingo, já venderam 3.300 doses da iguaria tradicional, “o que corresponde mais ou menos a mil lampreias”, disse à agência Lusa o vereador da Cultura e do Turismo, João Azadinho.

“Vamos continuar com esta campanha pelo menos mais duas semanas, enquanto vigorar o novo estado de emergência”, adiantou.

O autarca do PS informou que a comercialização da lampreia através do regime alternativo, em que os apreciadores da gastronomia local concluem o prato em casa, “está a ter uma aceitação muito grande”.

“Ultrapassou as nossas expectativas e os restaurantes dizem que está a correr muito bem”, apesar de “este conceito não ser muito usual”, referiu.

A acompanhar cada dose, confecionada pelos estabelecimentos de acordo com receitas ancestrais que passaram de geração para geração, segue um pequeno “saco de pano com a medida de arroz branco”, que será depois cozinhado pelo cliente.

O município oferece a saqueta e a caixa de cartão para as pessoas levarem o manjar com o característico molho negro, bem como um folheto informativo e, por cada prato, um exemplar da doçaria conventual do concelho: uma “nevada” ou um “pastel de Lorvão”.

“Julgo que é um sucesso esta parceria com os restaurantes e a Confraria da Lampreia. Está a resultar em pleno”, congratulou-se João Azadinho.

Tirando partido das suas redes de contactos, algumas firmas têm feito entregas ao domicílio em Coimbra e concelhos limítrofes.

Concebida pela autarquia de Penacova, em colaboração com a Confraria da Lampreia, a campanha acaba por ser “uma forma indireta de ajudar os restaurantes”, encerrados devido ao confinamento geral para travar a pandemia da covid-19.

A chamada época da lampreia, quando este ciclóstomo sobe o rio Mondego, a partir do estuário, na Figueira da Foz, para desovar a montante de Penacova, decorre habitualmente entre fevereiro e abril, atraindo milhares de pessoas a esta vila do interior do distrito de Coimbra.

Contudo, segundo João Azadinho, Penacova “tem ainda alguma expectativa” de haver lampreia servida à mesa dos restaurantes, em abril, caso entretanto o desconfinamento seja decretado e permita, mesmo com atraso, a realização do festival anual em torno da iguaria.

Animal do tempo dos dinossauros, que reparte a sua vida entre meios de água salgada e doce, nos oceanos, rios, ribeiras e lagoas, a lampreia faz parte há séculos da identidade gastronómica da região.

Com diferentes modos de cozinhar, é servida por casas da especialidade na Figueira da Foz, Montemor-o-Velho, Coimbra, Penacova, Mortágua, Santa Comba Dão e outros municípios banhados pelo Mondego e afluentes.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade [video width="1280" height="1280" mp4="https://www.noticiasdecoimbra.pt/wp-content/uploads/2020/11/banner-NDC-radioboanova.mp4" loop="true" autoplay="true" preload="auto"][/video]
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com