Economia

Pedro Saraiva diz que Incubação de empresas “ajuda no sucesso” económico do Centro

Notícias de Coimbra | 10 anos atrás em 26-11-2013

 O presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), Pedro Saraiva, realçou hoje que a incubação de empresas de base científica “ajuda a fazer o sucesso” económico da região.

PUBLICIDADE

“Esta é uma região onde há antecipadores de futuro que não podem deixar de nos fazer acreditar nesse mesmo futuro”, disse Pedro Saraiva à agência Lusa.

A incubação de base científica e tecnológica “é um desses fenómenos de antecipação de futuro”, enquanto “realidade muito promissora no mundo inteiro” e que contribui “para o sucesso das regiões”, acrescentou.

PUBLICIDADE

O presidente da CCDRC falava, em Coimbra, à margem de uma conferência internacional em que participam incubadoras de empresas de base científica de diversos países, na qual apresentou a sua perspetiva sobre o papel da incubação nas economias regionais.

A Região Centro, através de entidades como o Biocant, em Cantanhede, e o Instituto Pedro Nunes (IPN), ligado à Universidade de Coimbra, “soube agarrar com muita força” este desafio, afirmou.

PUBLICIDADE

Pedro Saraiva disse que vários conferencistas estrangeiros o abordaram, no final da sua intervenção, para perceberem “o papel dos fundos estruturais” da União Europeia “nestas dinâmicas de evolução” das incubadoras em Portugal.

“Ao ponto de quererem de fazer pontes com a Região Centro. Não de uma forma paternalista, mas taco a taco”, frisou.

Ao intervir perante uma centena de participantes de todos os continentes, Pedro Saraiva salientou que, em Coimbra, “alguns campeões fazem as coisas acontecer”, enaltecendo a ação de Teresa Mendes e Paulo Santos, presidente do IPN e diretor da incubadora de empresas deste instituto, respetivamente.

Em declarações à Lusa, Teresa Mendes disse que estas conferências internacionais, promovidas nos últimos anos em diversos países, por iniciativa da rede internacional Technopolicy Network e associadas, permite “criar teias de ligação” com diferentes congéneres do mundo, dando ao IPN a oportunidade de “afinar pela melhor bitola” neste campo.

Em 2010, a incubadora do IPN foi distinguida pela rede como a melhor incubadora de base tecnológica e científica do mundo, mas desta vez, por ser a anfitriã, decidiu não concorrer ao prémio.

A 11ª. Conferência Internacional de Incubação de Base Científica, que termina na quarta-feira, é organizada pelo IPN, com apoio da Technopolicy Network e do IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação.

Em 2012, o Centro foi considerado uma das 100 regiões mais inovadoras da Europa pelo European Regional Innovation Scoreboard da Comissão Europeia.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE