Coimbra

Pedro Machado diz que “há uma consciência da marca Centro de Portugal que não existia”

Notícias de Coimbra | 1 ano atrás em 30-05-2023

“Há uma consciência da marca Centro de Portugal que não existia”, disse ao Notícias de Coimbra, esta terça-feira, 30 de maio, Pedro Machado, reforçando que “o Fórum Vê Portugal é a expressão disso, reconhecido por todos os presidentes das outras Regiões de Turismo”.

PUBLICIDADE

“A marca Centro durante muitos anos foi pouco valorizada”, pois “não fazia referência a um território concreto, e nós conseguimos transformar em ativo”, lembra o presidente da Turismo Centro de Portugal.

Na sessão de abertura de mais uma edição do Vê Portugal, que decorre na Covilhã, o responsável reclamou  “novas competências” para as  entidades de turismo que “são hoje instituições reconhecidas nos territórios e os resultados falam por si”.

PUBLICIDADE

Nesta que é a 9.ª edição do Fórum de Turismo Interno, Pedro Machado referiu os números, que falam por si: “Em 2022, o turismo interno representou, na Região do Centro, 4.411.497 milhões de dormidas, quando em 2019 era pouco mais de 4,16 milhões e, em 2013, apenas 2,4 milhões”.

“Estamos perante um mercado que continua a crescer de forma consistente” e que “em 2023 continua na senda do crescimento”, sublinha.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

Pedro Machado apresentou, ainda,  a “agenda de intervenção estratégica da Turismo Centro de Portugal”, que tem como prioridades a “estruturação do produto turístico”, a “promoção turística integrada”, “a capacitação e qualificação dos agentes” e a “monitorização e produção de conhecimento”.

Na sua intervenção, Vítor Pereira, presidente da Câmara Municipal, deu as boas-vindas aos participantes e recordou que a Covilhã “tem uma oferta que abrange todos os segmentos do turismo”. “Só não temos as ondas do mar”, disse. “O turismo desempenha um papel central na economia.

Por sua vez, Mário Raposo, reitor da Universidade da Beira Interior, recordou que o turismo enfrenta também desafios, destacando a “necessidade de criar marcas regionais e de apostar em novos produtos que atraiam visitantes durante todo o ano”.

O secretário de Estado do Turismo, Comércio e Serviços esteve nesta sessão que debate o turismo interno, garantindo que o Governo quer “mais turismo no interior” e está ” a mobilizar os instrumentos para esse efeito”.

“Queremos continuar a crescer, sobretudo a crescer melhor. Queremos um turismo mais sustentável, mais inclusivo e mais coeso”, referiu Nuno Fazenda.

Coube à Desertuna da Universidade da Beira Interior dar as boas vindas aos convidados do Fórum Vê Portugal que durante dois dias debate o turismo de interior no Teatro Municipal da Covilhã.

Seguiu-se Jorge Sequeira, um dos principais motivational speakers nacionais, que falou do seu livro “Dar ao Pedal”, mostrando de forma criativa e divertida atitudes que podem ajudar a  potenciar o desempenho.

Luís Osório que iria apresentar “O Postal do Dia” esteve ausente por motivos de doença.

A encerrar a manhã, teve lugar um painel dedicado ao tema “Turismo Interno – Desafios para Portugal”. A conversa juntou um painel alargado, que incluiu Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, e quatro presidentes de regiões de turismo – Pedro Machado, do Centro de Portugal; Luís Pedro Martins, do Porto e Norte de Portugal; Vítor Silva, do Alentejo; e João Fernandes, do Algarve – que foram desafiados pelo moderador, o jornalista Paulo Baldaia, a conversar sobre como se pode melhorar a estrutura do turismo em Portugal.

Luís Araújo começou o debate, salientando que o modelo existente funciona e tem dado provas. “A promoção turística do país precisa de estruturas flexíveis, em colaboração estreita entre si, que deem resposta às necessidades dos visitantes. É esse modelo que existe e que tem alcançado resultados muito positivos”, afirmou.

Para Luís Pedro Martins, “o setor do turismo tem conseguido prosseguir o trabalho realizado sem grandes roturas e com estabilidade”. Recordando que “o turismo foi o setor que começou a regionalização, em 2013”, Luís Pedro Martins referiu que “passada uma década, é altura de mudanças. As regiões estão próximas das empresas e, devido a essa proximidade, podem fazer algum do trabalho feito pelo Turismo de Portugal”. “Estamos no bom caminho e só temos de o aprofundar”, concluiu.

Por parte do Alentejo, Vítor Silva considerou que não é necessário mexer no modelo atual. “Este modelo provou que funciona e introduzir alterações pode ser um tiro no pé. Somos o setor económico mais invejado e, com poucos meios, conseguimos fazer crescer as marcas regionais. O modelo funciona, não é preciso mexer”, disse.

João Fernandes reconheceu também que “o modelo está bem conseguido e tem dado cartas”, lembrando que “o Turismo de Portugal é uma referência a nível internacional”. No entanto, reconheceu que “é preciso reforçar as competências nas Entidades Regionais de Turismo (ERT), num processo de melhoria contínua” e, acima de tudo, é preciso “reforçar o financiamento das ERT, que precisa de mais recursos”.

A terminar o painel, Pedro Machado reforçou a ideia de que “o edifício do turismo responde, mas precisa de melhoramentos. “A Lei 2013 resolveu vários problemas, como a proliferação de entidades de turismo, que provocava descontinuidade territorial de produtos. Mas, entretanto, o mundo mudou. Os visitantes têm hoje prioridades diferentes, pelo que há alterações que devem ser feitas agora no reforço das competências das ERT. Estamos bem, mas podemos melhorar”, concluiu.

A tarde ficou marcada pelas iniciativas “Inspirar para Criar, na Covilhã”, com os participantes a visitarem alguns ativos turísticos do concelho.

Durante a noite desta terça-feira realiza-se o  jantar “Vê Portugal”, onde a Turismo Centro de Portugal promove a entrega dos Prémios de Melhor Tese de Mestrado, Melhor Tese de Doutoramento, Prémio de Empreendedorismo “José Manuel Alves”. São também homenageadas as personalidades e instituições que se destacaram no setor turístico nacional.

O Fórum Vê Portugal, que termina esta quarta-feira, 31 de maio,  junta especialistas nacionais e internacionais para uma abrangente discussão sobre o presente e o futuro do turismo. Este ano, o tema central do evento é “Tecer Novos Caminhos para o Turismo Interno”.

Veja os vídeos:

 

 

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE