Conecte-se connosco

Coimbra

Pedro e Anna já “repartiram” Estádio Cidade de Coimbra

Publicado

em

O negócio combinado entre a Direção da Associação Académica de Coimbra – Organismo Autónomo de Futebol (AAC/OAF) e a potencial investidora americana Athlon – Family Office, contempla que a Sociedade Anónima Desportiva (SAD), a ser constituída, pague 10 mil euros por mês à Briosa pela ocupação da Academia e Estádio Municipal. 

“A Sociedade pagará 10 mil euros, acrescidos de IVA à taxa legal, mensais à AAC/OAF pelo uso e/ou arrendamento de todas as instalações incluindo o Estádio Cidade de Coimbra”, lê-se no acordo entre a atual Direção, presidida por Pedro Roxo, e a empresa americana representada por Anna Guerreiro, a que o Notícias de Coimbra teve acesso.

Segundo o documento, aos 10 mil euros “acrescerão os custos de utilização das infraestruturas como água, luz, gás imputáveis à Sociedade pela utilização que fizer das referidas infraestruturas e os custos de manutenção ordinária das infraestruturas, sendo os custos de manutenção extraordinária das infraestruturas  a cargo da AAC/OAF”.

No texto há referência ao Acordo de Utilização do Estádio Cidade de Coimbra, celebrado entre a Câmara Municipal e a AAC/OAF, em julho de 2004 e que foi renovado em 2019 pelo prazo de cinco anos. “Está em vigor e não existem quaisquer circunstâncias que possam colocar em causa a sua manutenção em vigor”, lê-se.

Pelo valor em causa, e caso venha a ser constituída a SAD, a AAC/OAF “assegura a transmissão do direito do uso exclusivo do Estádio à Sociedade, para jogos oficiais de futebol das suas equipas”. Além disso, “a Sociedade fica detentora para sua exploração exclusiva de todos os espaços publicitários inerentes aos retângulo de jogo, assim como as suas bancadas e áreas circundantes, incluindo publicidade exterior e naming rights”. Também a comercialização de camarotes e o uso da sala de imprensa.

A loja da Académica vai passar para a SAD, que fica com a exclusividade da comercialização de produtos relacionados com futebol, embora a AAC/OAF fique com um espaço destinado à cobrança de quotas e atendimento aos sócios.

Já “os espaços comerciais não afetos ao jogo de futebol, mantêm-se na gestão exploração” do clube, embora a SAD possa instalar os seus escritórios e sede no Estádio. 

O acordo vai ser apresentado pela Direção da Académica aos sócios esta quinta-feira.

O NDC já endereçou vários pedidos de esclarecimento a Anna Guerreiro, mas desde o dia em que “casamento” foi anunciado, a 16 de abril, nunca mais se ouviu falar da “investidora”. 

 

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link