Autárquicas

Paulo Almeida do CDS acusa Barbosa de Melo de ser o coveiro da coligação e de colocar os seus interesses pessoais à frente dos de Coimbra

Notícias de Coimbra | 11 anos atrás em 12-09-2013

logo_cds_pp

PUBLICIDADE

Foi na última Assembleia Municipal de Coimbra deste mandato que o CDS-PP, através de Paulo Almeida, fez o que o Luís Providência ainda não foi capaz de dizer em alta voz (deve estar à espera dos 350 000 para dar até às eleições), assumiu a rutura com o PSD e arrasou Barbosa de Melo.

Pela voz do seu líder distrital, o CDS-PP acusou Barbosa de Melo de “ao apostar com Coimbra e seus votos como se de um jogo se tratasse, coloca os seus interesses à frente dos de Coimbra que diz querer liderar. Ao fingir, ao pretender ocultar e não demonstrar que está a correr um risco, tenta iludir as pessoas, assim as menosprezando. E faz tudo isto contra a vontade declarada e expressa e assinada dos presidentes das distritais do PSD, PPM e do CDS. Tudo assim faz, desconsiderando igualmente o seu antecessor”, numa referência a Carlos Encarnação.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

Incisivo, o CDS-PP pela voz do seu Presidente disse a Barbosa de Melo que “a sua arte de dissimulação é fraca, pobremente executada e tem de ser denunciada”.

PUBLICIDADE

O CDS-PP que vai a votos sozinho daqui a dias nas eleições autárquicas, não deixou de enaltecer e apelar ao voto no seu candidato Luís Providência, enfatizando que “que votar CDS-PP é dar confiança aos mais capazes e nos jovens que querem que o seu próprio futuro ande de mãos dadas com esta cidade. Podem confiar no CDS para ajudar a dar energia, vitalidade e dinamismo a Coimbra”, disse Paulo Almeida.

Related Images:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE