Conecte-se connosco

Desporto

Paralímpicos: Portugal garante três diplomas com oitavos lugares na natação

Publicado

em

Os nadadores Marco Meneses, Diogo Cancela e Ivo Rocha terminaram hoje na oitava posição as três finais nas quais participaram nos Jogos Paralímpicos Tóquio2020, garantindo todos diplomas para Portugal, que assim passa a somar cinco.

Nos 100 metros costas S11 (deficiência visual), Marco Meneses repetiu o oitavo lugar conseguido na sexta-feira na final dos 50 metros livres, ao nadar em 1.12,68 minutos, marca que ficou acima da alcançada nas eliminatórias (1.11,65).

A prova foi ganha pelo ucraniano Mykhailo Serbin (1.08,63), que partilhou o pódio com o compatriota Viktor Smyrnov (1.09,36) e com o chinês Yang Bozun (1.09,62), que conquistaram a prata e o bronze, respetivamente.

Nos 200 metros estilos SM8, Diogo Cancela nadou a final em 2.33,36 minutos, depois de durante a manhã ter conseguido novo recorde nacional da distância (2.30.08).

O ucraniano Denys Dubrov conquistou o ouro olímpico (2.20,96), tendo os chineses Haijiao Xu (2.21,06) e Guanglong Yang (2.21,53), arrecadado a prata e o bronze, respetivamente.

No Centro Aquático de Tóquio, Ivo Rocha foi oitavo classificado na final dos 100 metros bruços SB5, com o tempo de 1.43,06 minutos, na qual Andrei Granichka, que compete sob bandeira do Comité Paralímpico da Rússia, alcançou o ouro e estabeleceu novo recorde do mundo (1.25,13).

Atrás do nadador russo terminaram o espanhol Antoni Ponce Bertrand (1.26,53), antigo recordista mundial, e o chinês Junsheng Li (1.29.01), medalhas de prata e bronze, respetivamente.

Os três diplomas conseguidos hoje juntam-se ao conquistado, na sexta-feira, por Marco Meneses na prova dos 50 metros livres, e ao arrecadado pelo ciclista Telmo Pinão nos 3.000 metros de perseguição individual C.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link