Mundo

Pai e mãe conspiraram para que rim de jovem fosse removido e transplantado para a filha

Notícias de Coimbra | 1 ano atrás em 23-03-2023

O senador nigeriano Ike Ekweremadu foi hoje condenado por um tribunal de Londres, por conspirar para que o rim de um jovem fosse removido no ano passado para transplante para a sua filha.

PUBLICIDADE

Além do senador, a sua mulher Beatrice, e um médico que agiu como intermediário foram também considerados culpados de conspirar para transportar o jovem de Lagos para o Reino Unido, para que lhe fosse retirado o rim, mas a filha do casal, Sonia, de 25 anos, foi ilibada, escreve a agência France-Presse.

O influente senador, ex-vice-presidente do Senado nigeriano, e a sua mulher declararam-se inocentes na abertura do julgamento, motivando muitos comentários no espaço público nigeriano, nomeadamente nas redes sociais.

PUBLICIDADE

As sentenças serão conhecidas em 05 de maio, mas os três arguidos enfrentam prisão perpétua ao abrigo da Lei da Escravatura Moderna, e foram formalmente acusados ao abrigo da Lei de Conspiração por organizarem a viagem de um terceiro para exploração.

A vítima, um primo de Sonia, era um vendedor ambulante em Lagos, a quem foi prometida uma verba equivalente a 7.800 euros, de acordo com a acusação, bem como a promessa de trabalhar e permanecer no Reino Unido.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

No Reino Unido, é legal doar um rim de forma altruísta, mas ilegal fazê-lo por “recompensa” financeira ou material.

Durante o julgamento, o jovem disse que pensava ter sido transportado para o Reino Unido para trabalhar e só se apercebeu quando foi confrontado por médicos britânicos que lhe disseram que iria fazer um transplante de órgãos.

Foi então à polícia “à procura de alguém para lhe salvar a vida”, evitando assim a operação, disse a acusação.

Related Images:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE