Conecte-se connosco

Coimbra

“Pague o estacionamento”! Um aviso do presidente de Coimbra

Publicado

em

José Manuel Silva avisou hoje na reunião do executivo da Câmara Municipal, que se encontra a decorrer, que “a fiscalização do estacionamento está a começar a ser mais intensa, e assim irá continuar”, apelando aos munícipes para “que usem os transportes públicos, cumpram a legislação do trânsito e as regras do estacionamento”. 

“Ao não pagarem nos parquímetros e nos estacionamentos pagos, os prevaricadores, além de revelar um inaceitável desrespeito pela Lei e por aqueles que a cumprem, estão a prejudicar gravemente os Serviços Municipalizados dos Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC), que recebem as verbas desses parques, para
financiarem a renovação da frota e a melhoria dos serviços oferecidos. É fácil perceber que se não houver financiamento, não há nenhuma hipótese de termos bons transportes públicos”, afirmou o presidente.

” Ao estacionarem de forma anárquica, em qualquer lado, os prevaricadores estão a prejudicar o trânsito, a criar perigo, a impedir as pessoas de mobilidade reduzida e os carrinhos de bebé de circularem com menos dificuldade e a criarem obstáculos aos veículos de socorro, como ambulâncias e veículos dos bombeiros”, disse, dando como exemplo o “estacionamento ilegal e perigoso na Rua Jorge Anjinho, em frente a uma conhecida pastelaria”.

O autarca revelou que a Polícia Municipal recebeu “indicações para intensificar a fiscalização e, entre outros serviços, o departamento de contraordenações da CMC está a ser reforçado”. Disse ainda que já começaram a chegar ao município reclamações de pessoas que “querem levar o seu carro para a porta do trabalho, ao mesmo tempo que querem estacionamentos para os clientes”.

Para José Manuel Silva, os munícipes “devem procurar alternativas para chegar ao seu local de trabalho, incluindo nestas, para além do transporte público, andar um pouco a pé ou de bicicleta, o que é saudável e até substitui o ginásio” já que, considera, “o estacionamento no centro da cidade deve ser reservado preferencialmente para a procura de curta duração, como sejam os clientes das lojas”.

O presidente adiantou que este ano vão ser injetados nos SMTUC 12,5 milhões, para além das receitas em passes e bilhetes, “um aumento de 9% relativamente a 2021, uma fatura insustentável se for para financiar autocarros quase vazios”.

“Por favor, senhoras e senhores munícipes, cumpram e estudem as melhores alternativas, para não terem dissabores e para contribuírem para um município mais ordenado, mais civilizado, mais respeitador dos outros, com uma mobilidade mais fluida e com mais financiamento para os SMTUC, que dele bem precisa”, apelou José Manuel Silva.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link