Coimbra

“Os cães ladram. A obra faz-se”

Notícias de Coimbra | 8 anos atrás em 23-10-2016

Os cães ladram. A obra faz-se”

“Os cães ladram. A obra faz-se”. Belo sound bite!  Já lhe dizemos quem é o autor da “boca” do dia. “Mandada” em determinado contexto. Em cenário apropriado.

PUBLICIDADE

Antes temos muito que andar. A pé. De carro. A subir. A descer. O desafio não é fácil. O anfitrião tem “muita pedalada”. Parece o Professor Marcelo em visita presidencial. Até parece que o tabaco é doping! O que nos vale é que vai parando para fazer o enquadramento histórico.

Onde é que estamos?  Com quem estamos? De quem falamos? Ainda bem que nos coloca essas questões. Podemos dizer que nos encontramos a “comemorar três anos da tomada de posse/entrada em funções do executivo municipal de Coimbra”.

PUBLICIDADE

Na quinta-feira, Notícias de Coimbra escreveu que “o programa de 2016 é bem menos preenchido quando comparado com os que Manuel Machado apresentou em 2015 ou 2014, contemplando apenas a “Visita às obras da Rua de Sobre-Ribas, junto à Torre de Anto, a Consignação da obra Encosta da Sofia, na Ala Central do Colégio das Artes e a Consignação da obra de beneficiação do Canil/Gatil Municipal, no Canil/Gatil Municipal”.

Mas, na hora da visita, na sexta-feira, 21, soubemos que mostrar pouca obra tem uma explicação. Perfeita. Dada pelo nosso jovial “Prefeito”. É muito fácil, como diria outro Prefeito, o pretérito Encarnação: “3 anos. 3 obras”. Tão lógico. Como é que não antevimos isto?! Completamente natural.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

No fundo, o que escrevemos não passava de “intriga”, uma palavra tão do agrado de Manuel Augusto Soares Machado, que, justiça lhe seja feita, não condiciona o nosso trabalho. Nunca deixa de nos perguntar se temos “rolo” ou se a “câmara”  funciona.

img_2910

Por falar em trabalho, está hora de “pegar ao serviço”.  São 10:30, quase madrigada na colina universitária.  A primeira obra é na Rua de Sobre-Ribas, de Sub Ripas, ou lá o que é. É a artéria dos Lobo Xavier. Que passa a ter um daqueles pisos onde até as meninas de salto alto vão poder dançar. A empreitada tem andando no “pára – arranca”, mas no dia da visita dava ares de estar quase pronta a inaugurar.

O primeiro a chegar foi Francisco Queirós, Vereador da CDU. Pontual. Logo de seguida recebemos os seus camaradas da vereação socialista.

Já com o com o Presidente da Câmara no comando do pelotão e uma dúzia de chefes, directores e outros quadros qualificados fomos para a rua que liga a dos Coutinhos/Colégio Novo à do Quebra Costas, passando pela Torre D´Anto, onde não cantamos o fado no núcleo da guitarra e do dito.

Só faltou a gentil Marta Brinca, mas deve estar no seu local de trabalho. Lamenta-se a ausência da “Primeira Dama”. Há quem diga que a lei devia ser mudada para estar sempre disponível para dar mais encanto a este tipo de evento.

Próxima paragem: Sé Velha. Não estava no programa. O que prova que não há 3 sem quatro mas há quartos para alugar neste centro histórico.

O repórter já tomava um café. O Oásis está fechado. Ir ao Sé Velha pode representar perder alguma novidade. A bica fica para a próxima. Ainda bem que ficámos. Manuel Machado desabafa: “Carros todos ao monte nesta zona é inaceitável”. Tem razão. De dia “atropelam” os turistas. À noite “condicionam” o Botellon que que o município vai permitindo.

O Presidente da Câmara deseja que sejam  “criadas condições de maior conforto para os peões”. Sabemos que pretende acabar com a vergonhoso estacionamento na área lateral e frontal da Sé Velha. Ainda não se sabe ao certo como se vai circular e estacionar no que resta da área. O Sr Pároco pode estar descansado que vai ficar com lugar para continuar a deixar a sua viatura junto ao local de trabalho.

img_2932

As senhoras também não foram esquecidas. Manuel Machado vai mandar colocar pedra do Bordalo nestes caminhos da UNESCO.  Mas o piso lajeado não vai acabar com o seixo rolado. Há lugar para os dois.

No momento em que passou o  “Pantufinhas” pelo local, Manuel Machado adiantou que assinara, na véspera, um contrato de aquisição de três mini autocarros para a frota dos SMTUC). Nos olhos deste filho de Sever do Vouga vimos que a ECOVIA continua a brilhar no seu horizonte de mobilidade urbana de Coimbra.

pantufinhas

O edil também não deixou de destacar, apontando para um edifício que se encontrava à sua frente, o quão importante é o nascimento, nesta área da cidade, de uma creche, berçário e infantário. O autarca realçou a importância desta obra e acredita que a mesma “irá trazer mais pessoas para a Sé Velha”.

img_2939

Vamos andando?  Vamos para o Pátio da Inquisição. Alto. Pára tudo. Vemos uma beldade a filmar. É da RTP, SIC, TVI, CMTV? Não. É uma jovem estudante. Ficamos frustrados. Ainda não foi desta que a agência de comunicação a quem a CMC paga 4000 Euros por mês conseguiu trazer jornalistas da capital para “venderem Coimbra em Lisboa”.  Para já, para no futuro se possa saber o que está acontecer, Manuel Machado só pode contar com os “queridos diários” de Coimbra (As Beiras e Diário de Coimbra) e Notícias de Coimbra.

Para baixo é sempre a descer.  Nas Escadas que quebram costas Há ginjinha. Há ginjinha em várias tascas para turista entrar. Parece Lisboa em Coimbra! Deve ser moda.  Não entramos. Fica para a próxima. Preferimos os “docinhos”que integram a caravana presidencial.

A descida foi rápida.  Nem sequer fomos ao Fado ao Centro! Claro que fizemos questão de cumprimentar a Tricana. Também não visitámos ao alfarrabista, pelo que perdemos a oportunidade de Manuel Machado nos ajudar a recuar no tempo, mas daqui por uns dias voltamos para se ver como será possivel melhorar a circulação pedonal entre a Alta e a Baixa.

Não estava no programa, mas na Ferreira Borges quisemos saber o que é feito dos andares (nos prédios onde funcionaram os BNU e BPSM) que a Águas de Coimbra adquiriu para arrendar ao seu accionista Câmara Municipal de Coimbra. Estão em obras, diz-nos Manuel Machado, que, com o bem disposto Luís Marinho, Presidente da Assembleia Municipal de Coimbra, contempla a fachada do Nicola.

Notícias de Coimbra aproveitou o passeio pelo “canal” para tentar obter um “exclusivo”. Perguntou a Manuel Machado se está disponível para o seu 5º mandato à frente da CMC. Gentilelmente, o  socialista não ligou à provocação”. Ele sabe que nós sabemos que será candidato. Só não descobrimom quando será anunciada a recandidatura. Mas não há pressa. O PSD ainda está a fazer sondagens para saber qual é o seu melhor candidato.

Terceira paragem que era a segunda: Pátio da Inquisição. Aqui chegados ficamos com a certeza que o histórico Manuel Machado é, salvaguardando as devidas distâncias políticas, o José Hermano Saraiva dos nossos dias de Coimbra. Só o líder da autarquia é que nos podia contar como é que um guarda prisional, qual Big Brother, vigiava os presos que ali eram depositados. Era por um buraquito…

img_2997

O e-eleitor sabia que A Revolta já funcionou naquela área com vistas para o restaurante o Pátio? É verdade. Revelação em on de Manuel Machado, que como se está a ler e quando quer, fala da Maçonaria. O resto da conversa fica em off. Quem sabe se um dia não será retomada por irmãos hospitaleiros na Quinta de São Jerónimo.

Já na Ala Central do antigo Colégio das Artes, neste Pátio de Inquisição, foi assinado o auto de consignação referente à obra “Encosta da Sofia – Requalificação da Rua Pedro Rocha, Rua e Travessa de Montarroio/Ladeira do Seminário”, com a empresa Delfim de Jesus & Irmão, Lda.

É aqui que aparece Cabral de Oliveira, jornalista e representante do PPM na Assembleia Municipal de Coimbra. É um histórico da imprensa local. A pessoa certa para, mais acima, ajudar Manuel Machado a contar-nos a história da “Casa do Presidente da Câmara”, um edifício que agora serve para albergar serviços municipais.

Neste sobe e desce pela Cerca de São Bernardo, Manuel Machado aproveitou para referir que a segunda fase da obra, até à Rua de Aveiro, também está a ser trabalhada. “Já estão a ser feitas diligências para a aquisição dos terrenos”, adiantou. “Esta é uma obra que, devido à sua dimensão e transtornos que pode vir a causar aos moradores, poderá levantar algumas  criticas”, antecipou. “Contudo, não deixa  de ser uma obra importante que, associada à via central, irá reduzir o tráfego automóvel no centro da cidade”, acrescentou.

Na hora de sairmos do Pátio da Inquisição, temos de contar que os “romenos”, talvez com o objectivo de estabelecerem parcerias com o Centro de Artes Visuais ou com  a Escola da Noite ou até para terem acesso directo ao Gabinete do Investidor, resolveram “abancar” por aquelas bandas. Onde bebem Vinho em copo de Gin.

img_3037

A manhã terminou  com  a visita ao Canil/Gatil Municipal, onde foi assinado, com a empresa Ramal Pombeiro Ld., o auto de consignação das obras de beneficiação daquele espaço.

Aproveitamos o percurso para se fazer um registo de interesses. O enviado especial do NDC resolveu quebrar o protocolo e apanhou boleia para os Campos do Bolão. Meteu-se na Mercedes de 9 lugares que em  boa hora a CMC resolveu comprar para transportar convidados e colaboradores da edilidade.

img_3089

“Importante é a obra, não o dinheiro que se vai gastar”, começou por vincar Manuel Machado. O que aqui devemos realçar é a “requalificação das condições de trabalho das pessoas e o alojamento dos animais”.

O líder da autarquia também nos contou a história de Boris, “o cãodidato”. Um relato emocionado sobre um cão abandonado na Feira dos 23. O Animal resgatado durante uma ação da campanha que levaria Machado de regresso à 8 de Maio. Depois de tratado, foi adotado por familiares autarca. É uma espécie de mascote. Sherman, o embaixador dos Estados Unidos em Portugal,. Sim, o que torceu pela nossa selecção, andou a “investigar” o cão. Ainda o leva para fazer companhia ao  Bo de Obama.

Esta é a parte do dia que dá mais likes. Por isso o NDC tentou mostrar Manuel Machado com um gatinho ao colo. Era bom para nós. Dava uma boa foto de campanha. Só conseguimos um cumprimento. Tão querido!

Esta é a parte do dia que dá mais likes. Por isso o NDC tentou mostrar Manuel Machado com um gatinho ao colo. Era bom para nós. Dava uma boa foto de campanha. Só conseguimos um cumprimento. Tão querido!

Manuel Machado aproveitou para revelar que, de momento, o lugar de médico veterinário no Canil/Gatil tinha ficado vago, mas que a CMC, em parceria com a Direção Geral de Alimentação e Veterinária, está já a tratar do provimento do cargo.

 

O edil lamentou ainda o facto desta zona da cidade (junto ao Choupal) não ser mais conhecida e agradeceu e elogiou a equipa “que se criou para incentivar a adoção de animais, pelo trabalho que tem desenvolvido”.

Francisco Queirós, vereador responsável pelo Canil/Gatil, congratulou-se pelo facto de já mais de 500 animais terem sido adotados este ano e de terem sido feitas perto de 485 esterilizações.  “Não se abatem animais desde 2015 [os últimos abates verificaram-se em 2014], salvo por razões de saúde ou que a lei determine”, concluiu o vereador. Eutanásia 0.

Foi aqui, como diria o já citado historiador Saraiva, que o jovial Francisco Queirós disse que os CÃES LADRAM. A OBRA FAZ-SE. Há quem tenha comentado que a indirecta era directa para uns certos e determinados gatos urbanos.  Na assistência, comenta-se que, indirectamente, a “boca” também pode servir para avaliar este mandato de Manuel Machado na CMC, que, como se tem visto, vai levando a água ao seu moinho, apesar de grão a grão permitir que alguns camaradas encham o papo.

img_2981

A ação de propaganda de 3 anos a “Valorizar Coimbra” terminou no  restaurante Espanhol, também conhecido como Cova Funda, já sem a presença de Francisco Queirós. 

O que se passou no almoço fica no restaurante. No entanto, para os mais curiosos podemos adiantar que Manuel Machado deu uma entrevista a João Fonseca, da agência de informação Lusa. Que se falou de Fado de Coimbra ou não fosse Luís Marinho um dos expoentes máximos da nossa canção.

Para a sobremesa desta crónica ilustrada, o nosso momento vichyssoise: Manuel Machado comeu Caras de Bacalhau. O escriba optou pelo Fiel Amigo com Migas. Foi um belo almoço grátis.

O resto da história fica para o ano. Manuel Machado ainda tem mais uns 365 dias para fazer o que ainda não foi feito.

Veja AQUI como foi em 2015
Veja AQUI como foi em 2014

 

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE