Conecte-se connosco

Portugal

Operacionais envolvidos no combate a incêndios rurais aumentaram em relação a 2021

Publicado

em

Os operacionais envolvidos este ano no dispositivo de combate aos incêndios rurais aumentaram 7% em relação a 2021, estando previstos para os meses mais críticos 12.917 elementos, segundo a diretiva operacional nacional hoje publicada.

A diretiva operacional nacional (DON), que estabelece o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR), refere que em todas as fases de empenhamento de meios, cujo primeiro reforço acontece no domingo, há um aumento de operacionais e viaturas, mantendo-se os meios aéreos em igual número a 2021.

Segundo a DON, o dispositivo terrestre contará com 12.917 elementos, 3.062 equipas e 2.833 viaturas durante o período de maior empenhamento, entre 01 de julho e 30 de setembro, denominado Nível IV.

Em 2021, o número de operacionais que estiveram envolvidos no combate aos incêndios entre julho e setembro cifrou-se nos 12.058, significando que este ano há mais 850 elementos para o combate aos fogos.

De acordo com a DON, fazem parte do DECIR equipas dos corpos de bombeiros, da Unidade de Emergência de Proteção e Socorro da GNR, Força Especial de Proteção Civil, Força de Sapadores de Bombeiros Florestais e equipas do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), equipas e brigadas de sapadores florestais e equipas da empresa privada AFOCELCA.

Do total dos operacionais envolvidos, o maior número pertence aos bombeiros (5.332), dos quais 2.589 são das Equipas de Intervenção Permanente, seguido do ICNF (2.381), da GNR (2.064) e da Força Especial 917 de Proteção Civil (230).

O primeiro reforço de meios no âmbito do DECIR acontece no domingo, em que vão estar no terreno 9.630 elementos e 2.165 veículos dos vários agentes presentes no terreno.

Os meios de combate a incêndios voltam a ser reforçados a 01 de junho, mas é entre julho e setembro, conhecida pela fase mais crítica, que o dispositivo está na sua máxima capacidade, voltando depois a serem reduzidos a partir de outubro.

A DON indica que, entre 01 e 30 de junho, vão estar operacionais 10.653 elementos e 2.427 veículos, enquanto entre 01 e 15 de outubro vão estar 11.007 elementos e 2.353 carros de combate.

Em relação ao dispositivo aéreo, o DECIR 2022 contará com 14 meios aéreos em permanência, que aumentam para 37 aparelhos entre 15 a 31 de maio, passando a contar na capacidade máxima, entre 01 de junho e 15 de outubro, com 60 meios.

Quarenta e um meios aéreos estarão disponíveis entre 16 e 31 de outubro.

No âmbito do DECIR está já em funcionamento, desde o dia 07 de maio, a Rede Nacional de Postos de Vigia, da responsabilidade da Guarda Nacional Republicana, composta por 77 postos de vigia para prevenir e detetar incêndios, que aumentam para 230 em julho e até setembro.

A diretiva estabelece ainda os procedimentos de segurança individuais e coletivos que cada operacional deve ter na frente de um incêndio, dando conta dos princípios básicos de segurança e recorda que “o perigo é iminente”.

A apresentação pública do DECIR realiza-se no sábado em Castanheira de Pera, no distrito de Leiria.

Dados provisórios do ICNF indicam que até hoje deflagraram 3.093 incêndios rurais, que provocaram 9.781 hectares de área ardida, 76% dos quais em matos.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link