Conecte-se connosco

Região

Obras de conservação do Palácio da Justiça de Arganil já arrancaram

Publicado

em

As obras de conservação do Palácio da Justiça de Arganil arrancaram no início do mês, com o objetivo de melhorar as condições de segurança e comodidade do edifício, anunciou hoje a autarquia.

Da responsabilidade do Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça (IGFEJ), a intervenção prevê a remoção e substituição das placas de fibrocimento da cobertura do edifício e deverá ficar concluída no prazo de três meses.

“Os trabalhos contemplam, ainda, a impermeabilização da cobertura, com vista à resolução das infiltrações de água detetadas, e a aplicação de novo revestimento nas fachadas do edifício, de acordo com comunicação enviada à autarquia pelo IGFEJ”, explica, em comunicado.

Segundo a Câmara de Arganil, “as novas soluções previstas ao nível da cobertura e da fachada vão contribuir para melhorar as condições de segurança e comodidade dos profissionais do Tribunal Judicial e da Conservatória do Registo Civil e Predial”.

Atendendo a que o edifício, localizado na avenida principal, é um dos “mais marcantes e emblemáticos de Arganil”, a autarquia considera que os melhoramentos vão contribuir não só “para o reforço do caráter institucional”, como também “para a valorização da paisagem urbanística da vila”.

“A intervenção no Palácio da Justiça de Arganil procede as intervenções de reabilitação concretizadas nas instalações da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo Beira Centro, em 2019, e mais recentemente no edifício dos Paços do Concelho, contribuindo para enobrecer, modernizar e valorizar a avenida principal da sede do concelho”, acrescenta.

A autarquia adianta que, para breve, está também prevista “a reabilitação da galeria hidráulica que acompanha subterraneamente esta artéria central e que está em risco de colapso”.

Desta forma, posteriormente, poderá “avançar para a segunda fase da empreitada de requalificação do espaço urbano público da vila de Arganil, intervindo nas artérias sustentadas pela galeria hidráulica subterrânea: a Avenida José Augusto de Carvalho, a Avenida dos Bombeiros Voluntários Argus e a Avenida das Forças Armadas”.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade