Assinaturas NDC

Apoie a nossa missão. Assine o Notícias de Coimbra

Mais tarde

Economia

O frio já se instalou lá por casa? Fique a saber qual é o aquecimento mais barato

NOTÍCIAS DE COIMBRA | 3 meses atrás em 06-12-2023

A chegada do inverno traz os dias mais frios e aquecer a casa pode ser um verdadeiro desafio para muitas famílias até porque normalmente gasta-se algum dinheiro para se manter quente.

PUBLICIDADE

Com o ar condicionado pode poupar mais de 100 euros ao final de um ano e reduzir o impacto no ambiente, mas se este sistema não é opção para si, a DECO Proteste recomenda que dê preferência aos termoventiladores e aos convectores.

PUBLICIDADE

“As soluções de aquecimento como os aquecedores portáteis (onde se incluem os termoventiladores, os convectores, os emissores e os radiadores a óleo) são ainda das mais procuradas pelos consumidores, por serem mais baratas. Contudo, acabam por aumentar a fatura da eletricidade, e o seu uso apresenta uma pegada ambiental (emissões de CO2) muito significativa devido ao elevado consumo associado”, pode ler-se no site da entidade.

PUBLICIDADE

Ora, a “melhor forma de manter uma temperatura confortável em casa á atuar ao nível da envolvente do edifício, optando por janelas mais eficientes ou por reforçar o isolamento térmico da casa”, mas “quando não é possível, para reduzir as necessidades de energia e manter o interior confortável, é fundamental escolher um sistema de aquecimento eficiente, com custos energéticos mais reduzidos, e cuja utilização se traduza em menores emissões de CO2”, lê-se no Notícias ao Minuto.

“Ao analisar-se o custo de utilização de cada um destes aparelhos ao longo de um ano, nos cinco meses mais frios (novembro a março), a poupança alcançada com os equipamentos mais eficientes, como o ar condicionado ou a salamandra a pellets, é ainda mais evidente”, divulga a DECO Proteste.

PUBLICIDADE

A conclusão é que “para conseguir o mesma quantidade de calor, uma salamandra a pellets permite poupar 96 euros, por ano, face ao termoventilador. Já com o ar condicionado, a poupança sobe para 110 euros anuais”.

Já os aquecedores portáteis, apesar de não serem os mais económicos, “continuam a ser os preferidos em Portugal”, sendo que “estavam presentes em 65% das habitações, existindo, em média, quase dois equipamentos por lar”.

“Afinal, são aparelhos baratos, transportáveis e fáceis de instalar e usar. Mas, para manter uma casa quente durante o inverno, o consumo é muito elevado, o que se reflete na fatura da eletricidade. Daí, deverem ser usados pontualmente, como fontes secundárias de aquecimento. Se optar por um aquecedor portátil, considere comprar um equipamento com temporizador incorporado. Em alternativa, um temporizador de tomada permite programar o tempo de funcionamento do aparelho e evitar desperdício de energia”, recomenda.

“Se, todos os dias e por cinco meses, o consumidor usar o equipamento duas vezes por dia nestas condições — para se aquecer pontualmente —, o custo anual com o termoventilador será de 43 euros, enquanto o convector custará 74 euros e o emissor, por ser mais lento e necessitar de funcionar mais tempo, gastará 101 euros”, conclui a organização.

Related Images:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com