Conecte-se connosco

Mundo

Número de mortos sobre para 150 após cheias

Publicado

em

As cheias rápidas que atingiram uma zona remota no nordeste do Afeganistão provocaram pelo menos 150 mortos, segundo um novo balanço divulgado hoje pelos talibãs, que controlam a região.

O porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid, citado pela agência Associated Press, disse que as inundações foram desencadeadas por fortes chuvas que assolaram a região no final de quarta-feira.

O chefe do conselho provincial do Nuristão, Saydullah Paynda, dera conta inicialmente de 40 mortos, mas admitira que o número de vítimas seria superior por estarem desaparecidas mais de 150 pessoas.

“Apelo aos talibãs para que se apressem a ajudar as vítimas”, disse na altura Paynda, citado pela agência EFE.

Num comunicado divulgado na rede social Twitter, o porta-voz dos talibãs informou que os rebeldes ordenaram às suas próprias equipas de salvamento que se deslocassem à área afetada.

Não é claro como os talibãs estão equipados para lidar com emergências em áreas sob o seu controlo, que são na sua maioria zonas rurais.

Mujahid anunciou também a disponibilização de uma verba equivalente a cerca de 52.000 euros para operações de limpeza e ajuda às pessoas afetadas.

“Pedimos ao público que ofereça toda a ajuda possível à população afetada da aldeia de Mirdish”, acrescentou o porta-voz dos talibãs.

Segundo informações que chegaram a Parun, a capital provincial do Nuristão, as cheias repentinas inundaram Mirdish na quarta-feira, cerca da meia-noite local.

Esta aldeia situa-se no distrito de Kamdesh, não muito longe da fronteira com o Paquistão.

O porta-voz do governador da província, Mohammad Sayed Mohmand, disse que a inundação destruiu pelo menos 100 casas.

Mohmand disse também ter recebido relatos da existência de 60 mortos, mas admitiu que o número de vítimas mortais seja provavelmente muito superior.

Acrescentou que dezenas de famílias fugiram das cheias para a vizinha região de Kunar.

Em Cabul, o porta-voz do Ministério de Gestão de Catástrofes, Ahmad Samim Azimi, citado pela AP, disse ter relatos de pelo menos 100 mortos.

O Nuristão é uma região montanhosa e os talibãs controlam grandes extensões da província, uma das mais pobres e menos desenvolvidas do país.

A sua geografia montanhosa deixa os seus habitantes expostos a catástrofes naturais, como inundações e avalanches repentinas, que são frequentes no Afeganistão.

Em setembro de 2020, pelo menos 190 pessoas morreram devido a inundações repentinas que atingiram uma dúzia de províncias do Afeganistão e destruíram mais de 1.000 casas.

Desde o início da retirada final das tropas estrangeiras (dos Estados Unidos e da NATO) do território afegão, em maio último, e após quase 20 anos de permanência, os talibãs intensificaram as ofensivas em todo o país e conseguiram assumir o controlo de vastas áreas.

Cerca de 125 centros distritais em todo o país e várias passagens fronteiriças estão sob controlo talibã.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com