Coimbra

Novos autocarros elétricos dos SMTUC estão a dar problemas

António Alves | 2 meses atrás em 18-03-2024

A vereadora socialista Regina Bento questionou esta segunda-feira, 18 de março, o executivo municipal sobre os problemas que têm afetado os novos autocarros elétricos dos Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC). De acordo com a autarca, 8 dos 10 novos veículos standard já ficaram imobilizados.

PUBLICIDADE

Na intervenção feita durante o período antes da Ordem do Dia, Regina Bento afirmou que, nalguns dos casos, já houve mesmo necessidade de se proceder à troca das baterias elétricas destes veículos.

“Que diligências estão a fazer junto do fabricante para resolver estas anomalias?”, questionou, lembrando que as viaturas estão ao serviço da empresa municipal há pouco mais de um mês.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

A informação foi confirmada pelo presidente da câmara. José Manuel Silva afirmou que têm solicitado a presença de uma equipa técnica da empresa fornecedora nos SMTUC para “análise e reparação” das viaturas que estão dentro da garantia.

PUBLICIDADE

“Iremos proceder em conformidade a 100 por cento para resolver o problema. Exerceremos todas as cláusulas previstas no contrato”, disse, lembrando que os problemas só estão a ser registados nos veículos da marca turca Otokar.

Os miniautocarros da startup portuguesa de produção de autocarros elétricos Oceântia continuam a funcionar sem problemas.

Recorde-se que a Câmara Municipal adquiriu estes autocarros, em conjunto com mais 12 miniautocarros elétricos, ao abrigo de uma candidatura que realizou, através dos SMTUC, ao POSEUR para “Promoção da eficiência energética nos transportes coletivos de passageiros incumbidos de missões de serviço público”.

Uma medida que pretende incentivar o uso de veículos mais eficientes e que utilizem fontes de energia com melhor desempenho ambiental.

A operação representou um investimento total de 8,8 milhões euros (+ IVA), sendo comparticipada em 6,4 milhões de euros (100% do valor elegível) por fundos comunitários e os restantes 2,4 milhões de euros pela CM Coimbra, por não serem considerados elegíveis para a candidatura. 

Related Images:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE