Conecte-se connosco

Mundo

Novo fluxo de lava do vulcão de La Palma destruiu mais edifícios

Publicado

em

O novo fluxo de lava do vulcão da ilha espanhola de La Palma, com temperaturas até 1.240 graus Celsius, destruiu os poucos edifícios ainda intactos a norte de Todoque, disseram hoje as autoridades locais.

A informação foi divulgada pelo Instituto Vulcanológico das Ilhas Canárias (Involcan), sem precisar o número de casas destruídas.

Desde hoje, os fluxos de lava expelidos pelo vulcão Cumbre Vieja cobrem mais de 497 hectares e destruíram mais de 1.186 edifícios, de acordo com o sistema de satélites europeu Copérnico, noticiou a agência espanhola EFE.

O novo rio de lava foi provocado pelo desabamento, no sábado, do flanco norte do vulcão daquela ilha do arquipélago das Canárias, situado a oeste da costa de Marrocos.

A Unidade de Emergência Militar (UME) está a monitorizar os fluxos de lava que foram reativados após o colapso parcial do cone vulcânico, disse o comandante Ángel Luis Fernández, chefe de operações daquela unidade, citado pela EFE.

Os dois fluxos de lava avançam em direção ao oeste, onde se localizam La Laguna e Todoque.

Ángel Luis Fernández disse também que os movimentos sísmicos são constantemente monitorizados e que não há medo de novas erupções, embora exista um plano de contingência em vigor.

Nas últimas 48 horas, o Instituto Nacional Geográfico (IGN) registou 214 sismos na zona afetada pela reativação do vulcão, 19 dos quais foram sentidos pela população de La Palma.

A amplitude média do tremor vulcânico permanece estável e a altura da coluna de gás e cinzas é de 3.500 metros, mostrando uma ligeira descida da nuvem eruptiva, acrescentou o IGN.

As autoridades de La Palma disseram hoje que os residentes com propriedades fora do perímetro de segurança serão autorizados a entrar para recolher roupas e pertences.

O acesso será controlado e acompanhado por pessoal de segurança, após coordenação com a autarquia local.

Esta medida pode estar sujeita a alterações em função das condições meteorológicas e da evolução do processo eruptivo, acrescentaram.

O vulcão Cumbre Vieja entrou em erupção em 19 de setembro, obrigando à retirada de mais de 6.000 pessoas das zonas afetadas.

A erupção afetou o cultivo da banana e o turismo, as principais fontes de receitas da ilha, onde vivem cerca de 85.000 pessoas.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link