Conecte-se connosco

Mundo

Novo balanço marca 12 mortos do ciclone em Moçambique

Publicado

em

O número de mortes no balanço provisório da passagem do ciclone Gombe pelo norte de Moçambique subiu hoje para 12, de acordo com o Instituto Nacional de Gestão de Desastres (INGD).

O número deverá aumentar nos próximos dias, à medida que for possível fazer o levantamento dos danos causados nos distritos costeiros da província de Nampula mais severamente atingidos e que continuam incessíveis, tais como Mogincual e Liúpo – dois dos que continuam sem comunicações nem energia na província de Nampula.

Várias pessoas tentavam hoje equilibrar-se nos escombros de pontes para tentar atravessar rios naquela região.

Adultos e crianças estenderam troncos sob o rio Buenge para ligar o que resta da ponte à estrada Monapo – Mogincual.

Mais à frente, num pequena passagem sobre o rio Anphawane, a população ajudava a passar motos de uma margem para a outra, rolando sobre escombros inclinados da ponte.

Em todas as aldeias há casas de construção tradicional (argila e caniço) derrubadas.

Apesar de o ciclone ter perdido intensidade e de ser ter transformado numa depressão, continua a provocar chuva intensa e mantém-se o alerta para uma possível subida de caudal dos rios do norte e centro de Moçambique, nomeadamente o rio Licungo.

A tempestade Gombe chegou à costa moçambicana na madrugada de sexta-feira na categoria de ciclone intenso com chuva torrencial e vento de 165 quilómetros por hora, com rajadas superiores a 200.

A tempestade atingiu Moçambique três anos depois de os ciclones Idai e Kenneth terem fustigado, respetivamente, as regiões centro e norte do país naquela que foi uma das mais severas épocas chuvosas de que há memória.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com