Conecte-se connosco

Destaque

Nova Iorque levanta a grande maioria das restrições

Publicado

em

O governador de Nova Iorque anunciou hoje que, nas próximas semanas, irá levantar a maioria das restrições impostas aos bares, restaurantes, teatros ou museus por causa da covid-19 e que o metropolitano da cidade voltará a funcionar 24 horas.

Numa conferência de imprensa, Andrew Cuomo referiu que o levantamento de várias restrições, previsto para as próximas semanas, constitui “mais um passo” na estratégia do regresso à normalidade da cidade e do estado de Nova Iorque, estando ponderada a possibilidade de se pôr termo a todas as medidas até 01 de julho, tal como afirmou na semana passada o ‘mayor’ da “Big Apple”, Bill de Blasio.

A partir de dia 19 deste mês, adiantou, terminarão as restrições que se mantinham na hotelaria, lazer e estabelecimentos comerciais, como lojas, ginásios ou cabeleireiros.

Os estabelecimentos, no entanto, terão de garantir que há espaço suficiente para os clientes manterem uma separação de quase dois metros, embora haja algumas exceções.

Os restaurantes, por exemplo, não terão de cumprir essa exigência se tiverem barreiras que separem as mesas. Nem a distância terá de ser mantida nesses espaços ou eventos em que todas as pessoas são obrigadas a apresentar um comprovativo de vacinação contra a covid-19 ou um teste negativo. 

As novas regras em Nova Iorque, coordenadas com os estados vizinhos de Nova Jérsia e Connecticut, também permitem aumentar o limite de participantes em encontros ao ar livre de 200 para 500 pessoas e em ambientes fechados de 100 para 250. 

As grandes instalações – estádios e teatros, por exemplo – poderão superar esses números caso exijam exames de vacinação ou negativos e tenham espaço para manter a distância necessária. 

A partir de 19 de maio, os grandes espaços poderão operar com uma capacidade de 30% de sua capacidade, em comparação com os 10% atuais.

“Os casos de covid-19 estão a diminuir na cidade de Nova Iorque e em todo o estado. Enquanto nos concentramos na reconstrução da nossa economia, ajudando as empresas e colocando as pessoas de volta ao trabalho, será a hora de recuperar a capacidade total do metropolitano”, disse Cuomo.

Nova Iorque começou a fechar há pouco mais de um ano o metropolitano por várias horas todas as noites, numa altura em que a pandemia estava no auge, para facilitar a desinfeção e a limpeza diária das carruagens.

Durante meses, o metropolitano de Nova Iorque fechou entre a 01:00 e as 05:00 locais e, hoje em dia, ainda não funciona entre 02:00 e as 04:00.

Os Estados Unidos são o país do mundo mais afetado, tanto em número de mortes como nos casos de infeção: 577.045 óbitos e 32.421.713 casos, desde o início da pandemia, de acordo com a mais recente contagem efetuada pela Universidade Johns Hopkins.

O estado de Nova Iorque foi um dos mais duramente atingidos pela pandemia.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade [video width="1280" height="1280" mp4="https://www.noticiasdecoimbra.pt/wp-content/uploads/2020/11/banner-NDC-radioboanova.mp4" loop="true" autoplay="true" preload="auto"][/video]
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com