Política

“Não estou disponível para servir de bode expiatório” esclarece Lacerda Sales

Notícias de Coimbra | 1 mês atrás em 17-06-2024

O ex-secretário de Estado António Lacerda Sales disse hoje não estar disponível para “servir de bode expiatório num processo político-mediático a qualquer custo” na comissão de inquérito ao caso das gémeas tratadas com medicamento Zolgensma.

PUBLICIDADE

“Não estou disponível para servir de bode expiatório num processo político-mediático a qualquer custo”, afirmou.

Lacerda Sales salientou que “nenhum membro do Ministério da Saúde pode ter interferência na marcação de consultas ou na administração de medicamentos”, criticando o relatório da Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) e a auditoria do Hospital de Santa Maria.

PUBLICIDADE

“Eu não posso aceitar o relatório da IGAS e a auditoria do Hospital de Santa Maria. No entanto, apesar das suas limitações, a auditoria [do Santa Maria] concluiu bem que não houve qualquer favorecimento nestas crianças. As regras clínicas foram respeitadas. Ninguém passou à frente”, disse o ex-governante na intervenção inicial de 15 minutos antes de se remeter ao silêncio.

“O relatório IGAS mais parece uma tentativa de responder à pressão mediática”, disse, acrescentado que a cronologia do caso começa antes de integrar o Governo.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

O antigo secretário de Estado Adjunto e da Saúde recordou ainda que “tem um enorme orgulho em Portugal e no Serviço Nacional de Saúde”, depois de 36 crianças, das quais 11 no Hospital de Santa Maria, terem recebido o tratamento com o medicamento Zolgensma, que “evitou a morte prematura” e deu “qualidade de vida às famílias”.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE