Crimes

Mulher de 60 anos detida por fogo florestal

Notícias de Coimbra com Lusa | 1 ano atrás em 09-02-2023

A Guarda Nacional Republicana (GNR) anunciou hoje ter detido uma mulher de 60 anos pela alegada prática do crime de incêndio florestal, em Colmeias, no concelho de Leiria, que foi constituída arguida.

PUBLICIDADE

Em comunicado, o Comando Territorial de Leiria da GNR referiu que, na sequência de um alerta de incêndio florestal, militares deslocaram-se ao local e apuraram que na origem do fogo “esteve uma queima de sobrantes florestais autorizada, que se descontrolou devido à não adoção das medidas de segurança necessárias”.

“O incêndio propagou-se de forma livre e descontrolada por uma área rural e consumiu uma área florestal de 2.000 metros quadrados”, acrescentou a GNR, explicando que a mulher, detida em flagrante pelo Núcleo de Proteção Ambiental, foi constituída arguida e os factos comunicados ao Tribunal Judicial de Leiria.

PUBLICIDADE

Esta ação contou com o apoio dos bombeiros Sapadores e Voluntários de Leiria, explicou ainda a GNR.

Fonte da GNR adiantou à agência Lusa que a arguida, doméstica, “perdeu o controlo da queima e tiveram de ser utilizados meios de socorro, pelo que a situação é considerada crime”.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

Ainda de acordo com a mesma fonte, os prejuízos foram estimados em 640 euros.

No comunicado, a GNR lembrou que as queimas e queimadas são das principais causas dos incêndios em Portugal, frisando que “a realização de queimadas, de queima de amontoados e de fogueiras é interdita sempre que se verifique um nível de perigo de incêndio rural ‘muito elevado’ ou ‘máximo’, estando dependente de autorização ou de comunicação prévia noutros períodos”.

Para evitar acidentes, a GNR recomenda às pessoas que sigam as regras de segurança, estejam sempre acompanhadas e levem consigo o telemóvel.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE