Conecte-se connosco

Lazer

Mostra de doçaria conventual e bienal de música no Mosteiro do Lorvão

Publicado

em

O Mosteiro do Lorvão, em Penacova, vai ser, em outubro, o palco das primeiras edições da Mostra Nacional de Doçaria Conventual e da Bienal Internacional de Música, evento que quer dar projeção ao órgão de tubos daquele monumento.

Os dois eventos, que vão decorrer no Mosteiro do Lorvão, pretendem “valorizar este monumento nacional” e dar-lhe visibilidade, afirmou hoje o presidente da Câmara de Penacova, Álvaro Coimbra, durante a conferência de imprensa de apresentação das iniciativas que são de entrada gratuita.

A primeira edição da Bienal Internacional de Música do Mosteiro de Lorvão vai decorrer de 01 a 30 de outubro, tendo como um dos principais protagonistas o órgão de tubos de dupla face daquele monumento, terminado em 1795, que tem a particularidade de estar instalado a meio do corpo arquitetónico da igreja (caso único no país).

“Queremos dar visibilidade a este órgão, que precisa de ser mais conhecido e reconhecido a nível nacional e internacional”, frisou Álvaro Coimbra.

Em 01 de outubro, a bienal é inaugurada com um concerto do organista italiano Silvano Rodi, especialista na interpretação da música barroca francesa, seguindo-se no dia 08 a atuação da portuguesa Liliana Duarte, que também irá tocar naquele órgão de dois mil tubos.

No dia 22, haverá novo concerto no órgão, dessa feita pelo organista titular da Basílica da Estrela, em Lisboa, Sérgio Silva.

Para além dos concertos que têm como foco o órgão, o evento conta ainda com um Encontro Internacional de Coros no dia 15, que tem como anfitrião o coro de Penacova Coral Divo Canto, e atuações de alunos dos conservatórios de música de Coimbra e de Aveiro e da Escola de Artes de Penacova.

O ciclo termina com um concerto da Filarmónica Boa Vontade Lorvanense.

“É um misto de alguns artistas consagrados, sem se colocar de parte o que temos de bom no concelho”, frisou Álvaro Coimbra.

Já a Mostra de Doçaria Conventual vai decorrer em 15 e 16 de outubro, nos claustros do Mosteiro, estando confirmadas as presenças de duas dezenas de doceiros, com o “país praticamente todo representado” na iniciativa.

Na mostra, também será possível dar a conhecer a doçaria conventual local, como é o caso das nevadas e dos pastéis do Lorvão, sendo também dado a conhecer outros doces, como é o caso da botelhada, que contará com uma oficina dada pela doceira Emília Peres sobre a confeção daquela iguaria.

Segundo Álvaro Coimbra, estas iniciativas inserem-se numa estratégia daquela autarquia do distrito de Coimbra de projetar o Mosteiro do Lorvão, recordando que estão a decorrer as obras do centro interpretativo, que será inaugurado em 2023.

“Conseguimos fazer uma candidatura em tempo recorde e o centro interpretativo abrirá portas em 2023”, frisou.

Questionado sobre o projeto hoteleiro para a ala do antigo hospital psiquiátrico que estava instalado no mosteiro, Álvaro Coimbra explicou que o projeto deu entrada no município em maio e, passados cinco dias, a autarquia deu resposta ao promotor do investimento integrado no programa Revive.

“Aguardamos que aquilo que não depende da Câmara seja resolvido”, disse, salientando que o promotor está muito empenhado no projeto, que prevê a construção de um hotel de cinco estrelas com cerca de 90 quartos.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com