Portugal

Ministro da Administração Interna admite problemas apenas num radar

Notícias de Coimbra com Lusa | 10 meses atrás em 09-10-2023

O ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, negou hoje haver “problemas pontuais” nos novos radares, afirmando que foram registadas falhas num único radar.

PUBLICIDADE

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) confirmou hoje a existência de “problemas pontuais” nos novos radares com origem numa falha técnica e anunciou que os autos de contraordenação resultantes desses casos estão em processo de arquivamento.

Falando aos jornalistas à margem de uma ação de sensibilização da GNR junto da população idosa, em Oliveira de Azeméis, no distrito de Aveiro, o ministro negou que a falha tenha ocorrido em vários radares. “A informação que há da ANSR foi que ocorreu num radar”, esclareceu o ministro, adiantando que está a decorrer uma averiguação técnica.

PUBLICIDADE

O governante referiu ainda que nesses casos, e perante as contraordenações que resultem desse radar, “naturalmente que os cidadãos têm de ser protegidos daquilo que é uma falha técnica que foi detetada por parte da ANSR”.

José Luís Carneiro realçou ainda que, embora tenha havido uma redução de mais de 80% do número de mortos e de feridos graves nas estradas entre 1986 e 2019, foram registados mais de 470 mortos em 2022.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

Para o ministro, estes números devem indignar a população e justificam o uso de todos os instrumentos que estejam ao alcance do Governo para reduzir o numero de mortos e feridos graves nas estradas, como é o caso dos controlos da velocidade.

“A experiência mostra-nos que onde estão colocados os radares há uma redução que chega a atingir 70% no número de mortos e de feridos graves. Isto significa que é uma ferramenta que é útil, não para angariar receita, mas, fundamentalmente, para poupar vidas humanas”, sublinhou.

Num comunicado divulgado no seu ‘site’, a ANSR refere que foi feita uma revisão a todos os radares instalados em condições semelhantes aos novos, para “garantir a máxima segurança e estabilidade do sistema”.

Nestas situações, não foram detetados problemas adicionais, pelo que “os radares estão a funcionar no cumprimento estrito de todos os regulamentos legais”, acrescenta.

As suspeitas de problemas com alguns dos novos radares surgiram quando, no início deste mês, vários condutores se queixarem de falhas nalguns equipamentos, sobretudo na região centro do país. Num dos exemplos, um camião foi detetado a quase 200 quilómetros por hora e acabou por ser multado.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE