Conecte-se connosco

Crimes

Ministério Público acusa dois arguidos que se faziam passar por funcionários da Segurança Social para burlar idosos

Publicado

em

 O Ministério Público (MP) acusou dois arguidos de burla e roubo de dinheiro e ouro a idosos em vários concelhos do Norte, fazendo-se sempre passar por trabalhadores da Segurança Social, do Centro de Saúde ou de IPSS locais.

Em nota hoje publicada na sua página, a Procuradoria-Geral Regional do Porto refere que as burlas foram consumadas em Esposende, Barcelos, Vila do Conde, Ponte de Lima, Vila Nova de Cerveira, Póvoa de Varzim e Arcos de Valdevez, entre 28 de setembro e 21 de dezembro de 2021.

O MP considerou indiciado que os dois arguidos, atuando em conjugação de esforços, “apoderaram-se, ou procuraram apoderar-se, de objetos de ouro e de dinheiro pertença de pessoas idosas de condição social modesta, desacompanhadas e muitas vezes fragilizadas por doença”.

Para tal, percorriam de carro vários concelhos, “à procura de idosos que encaixassem no seu perfil de atuação, entabulando conversa com os mesmos”.

Intitulavam-se trabalhadores da Segurança Social, do Centro de Saúde ou de IPSS locais e diziam que estavam a fazer um levantamento das necessidades sociais ou de saúde desses idosos.

Na conversa, questionavam sobre ouro e dinheiro, conseguindo assim saber os locais onde os idosos guardavam esses bens.

Bens de que depois se apropriavam, levando os idosos a entregar-lhos “ao engano” ou tirando-lhos à força ou sem que os mesmos dessem conta.

O MP contabiliza na acusação apropriações de objetos de ouro e dinheiro, no referido período, no valor de pelo menos 9.620 euros.

Ainda segundo o MP, os objetos de ouro eram depois canalizados para um estabelecimento que se dedicava à compra e venda de ouro usado, na Póvoa de Varzim, cujo dono também é arguido, por recetação.

Os dois arguidos autores das burlas estão em prisão domiciliária.

Respondem por quatro crimes de burla qualificada, dois dos quais na forma tentada, dois crimes de roubo qualificado e três crimes de furto qualificado;

Um deles está ainda acusado de um crime de detenção de arma proibida.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade