Conecte-se connosco

Destaque

Medidas de resposta à crise “não devem tornar-se permanentes”

Publicado

em

O governador do Banco de Portugal (BdP), Mário Centeno, afirmou hoje que não se deve tornar permanentes medidas que foram criadas para dar uma resposta temporária à crise.

“Não podemos querer manter no futuro medidas que foram criadas para serem temporárias”, precisou o governador do Banco de Portugal na apresentação do Boletim Económico de maio onde o BdP faz uma análise da economia em 2020.

Estão neste caso, apontou, medidas como o ‘lay-off’ simplificado ou as linhas de crédito garantidas.

Tornar permanente medidas temporárias é, de resto um dos riscos identificados pelo Banco de Portugal na sequência da atual crise causada pela pandemia de covid-19, a que juntou outros dois: desigualdade social e a criação de pressão sobre o sistema financeiro.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade [video width="1280" height="1280" mp4="https://www.noticiasdecoimbra.pt/wp-content/uploads/2020/11/banner-NDC-radioboanova.mp4" loop="true" autoplay="true" preload="auto"][/video]
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com