Conecte-se connosco

Coimbra

Médicos do Centro elogiam esforço dos Hospitais de Coimbra na retoma da atividade (com vídeo)

Publicado

em

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) elogiou hoje o esforço do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) na retoma da atividade, bem como a resposta que tem dado durante a pandemia.

“Há um esforço muito grande. Visitámos vários serviços, nomeadamente cirúrgicos, e há uma focalização muito grande em recuperar aquilo que era a lista de espera, inclusivamente com uma reorganização em termos de horário, para os blocos operatórios estarem sempre a funcionar”, afirmou o presidente da SRCOM, Carlos Cortes, que falava aos jornalistas após uma visita ao CHUC.

Segundo dados que lhe foram fornecidos pela direção clínica do hospital, houve um aumento de 48% em consultas externas entre março e junho face ao mesmo período em 2020, um incremento de 85% em primeiras consultas e um aumento de 160% nas cirurgias programadas.

“Há aqui um esforço notável da instituição para recuperar a lista de espera, que é um problema grave”, face à pandemia, em que muitos doentes “viram os seus tratamentos e diagnósticos atrasados”, salientou Carlos Cortes.

O presidente da SRCOM fez um balanço “francamente positivo” da resposta do CHUC quer aos doentes não-covid quer aos doentes com covid-19.

O CHUC “teve a maior capacidade instalada de internamento para doentes covid a nível nacional – eram 498 camas. Nenhum hospital atingiu essa capacidade de tratar doentes e isso é muito importante. Desde o início da pandemia, foram tratados 3.524 doentes, 300 em cuidados intensivos. São números absolutamente impressionantes”, frisou.

Carlos Cortes realçou também que o CHUC não deu apenas uma resposta local ou regional, mas nacional, recebendo doentes do norte e sul do país.

Durante as declarações aos jornalistas, o responsável notou ainda que o hospital está também preocupado com o futuro, sendo sinal disso o investimento no aumento da sua capacidade em termos de cuidados intensivos.

Segundo o diretor clínico do CHUC, Nuno Devesa, o hospital vai passar a ter mais 24 camas de cuidados intensivos, oito das quais feitas em pressão negativa (camas para pacientes com doenças infecciosas).

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.844.390 mortos no mundo, resultantes de mais de 177,3 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 17.061 pessoas dos 862.926 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Veja o direto NDC

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade