Conecte-se connosco

Coimbra

Médico negacionista de Coimbra está a ser investigado

Publicado

em

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos instaurou um processo disciplinar contra médico negacionista Diogo Cabrita pela campanha que este tem levado a cabo contra a vacinação da Covid-19, incluindo uma caminhada de Coimbra a Lisboa, em maio de 2021, em protesto contra a inoculação de menores”, avança o Observador.

Recodamos que Diogo Cabrita também  levantou suspeitas de que a morte de Maria João Abreu esteve relacionada com a vacina contra a Covid-19: “Porquê é que não fica claro se a atriz, foi ou não vacinada? Ela teve a doença, houve informações de que foi vacinada, e depois há um caso brutal”, afirmou, ressalvando que não tem a certeza, mas apontando para uma “sonegação de informação”.

Diogo Cabrita tem afirmado publicamente que a vacina contra a Covid-19 é prejudicial aos jovens. “Pode dar um AVC, um enfarte do miocárdio, uma trombose venosa profunda” a uma “criança de 17 anos”, alegou, durante a chamada Marcha pelas Crianças, caminhada que organizou entre Coimbra e Lisboa, em protesto contra a inoculação de menores, e que se iniciou a 13 de maio, exatamente no dia em que Maria João Abreu perdeu a vida.

Na “Marcha pelas Crianças”, Diogo Cabrita esteve acompanhado pelo juiz negacionista Rui Castro, que nos últimos dias foi expulso da magistratura.

Diogo Cabrita trabalha no Hospital dos Covões e foi candidato da coligação Juntos Somos Coimbra à presidência da União das Freguesias de São Martinho do Bispo e Ribeira de Frades.

 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link