Coimbra

Mau tempo provoca inundações, quedas de árvores e deslizamento de terras em Coimbra (com vídeos)

Zilda Monteiro | 2 anos atrás em 22-10-2022

O mau tempo provocou 21 ocorrências, até ao início da tarde deste sábado (22 de outubro), na cidade de Coimbra.

PUBLICIDADE

De acordo com o vereador da Câmara Municipal de Coimbra, Carlos Lopes, responsável pela área da Proteção Civil, os Bombeiros Sapadores foram chamados a intervir em 17 situações de inundação, duas de quedas de árvores e duas de deslizamento de terras.

As situações mais problemáticas ocorreram, como explicou ao Notícias de Coimbra, na rua do Brasil, na zona do Cidral, na Quinta da Maia e no viaduto que liga a rotunda do Almegue a Bencanta.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

O trânsito neste viaduto continua cortado e a área está já delimitada. Carlos Lopes realça que “esta é uma zona crítica” e adianta que a Câmara está a preparar “um conjunto de intervenções com a Escola Agrária” para tentar encontrar uma solução para o acumular das águas que é frequente naquela área. Para já, não há ainda previsão de quando reabrirá.

PUBLICIDADE

Quanto às quedas de árvores ocorreram uma em Santa Clara, na Quinta da Várzea, e outra em Vendas do Ceira. Os Bombeiros Sapadores procederam ao corte e desobstruíram o local, não tendo havido danos.

Um dos deslizamentos de terras e pedras ocorreu na zona de Casais de Eiras, junto a uma estrada municipal, fruto da rutura de um cano de abastecimento de uma fonte pública. Para além dos Sapadores, estiveram no local os Bombeiros Voluntários de Brasfemes e elementos da União das Freguesias de Eiras e S. Paulo de Frades. Houve ainda um segundo deslizamento de terra em Valongo, Antanhol, rapidamente resolvido.

Carlos Lopes sublinha que não há prejuízos a registar, apesar de ter sido um dia de muito trabalho. “Como temos várias obras a decorrer na cidade já era previsível que pudessem acontecer estas ocorrências e já tínhamos os meios em pré-aviso para responder e foi o que fizemos”, sublinhou.

A tarde já foi mais calma mas as equipas estiveram no terreno a resolver as situações. Carlos Lopes sublinhou que “é preciso tranquilidade”, porque o país está em situação de seca e a “chuva é um bem necessário”. Assegura que estão “de prevenção”.

Veja os vídeos dos diretos NDC:

Related Images:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE