Conecte-se connosco

Lazer

Maro edita hoje novo álbum “Can you see me?”

Publicado

em

A cantora e compositora portuguesa Maro edita hoje um novo álbum, “Can you see me?”, em edição própria e que conta com a participação do músico brasileiro Milton Nascimento.

De acordo com informações partilhadas pela artista nas suas páginas oficiais, “Can you see me?” foi sendo trabalhado e gravado ao longo dos últimos dois anos, com produção do músico John Blanda.

“Can you see me?”, que tem distribuição pela Venice Music, conta com 14 canções, a maioria das quais compostas por Maro em parceria com John Blanda, como “We’ve been loving in silence” e “Am I not enough for now?”.

Do álbum também faz parte a música “Juro que vi flores”, escrita por Maro e interpretada em parceria com o músico brasileiro Milton Nascimento.

“Can you see me?” é editado três meses depois de Maro ter representado Portugal no festival Eurovisão da Canção, em maio em Turim (Itália), com o tema “Saudade, Saudade”, escrito com John Blanda.

Para setembro, tem agendada uma digressão pelos Estados Unidos e Canadá.

Maro é o nome artístico de Mariana Secca, cantora e multi-instrumentista lisboeta, que fez o conservatório e estudou na escola de Berklee, em Boston, nos Estados Unidos.

Em 2018, editou o primeiro álbum, homónimo, dividido em três volumes e que condensa, de forma cronológica, tudo aquilo que Maro compôs desde os primeiros temas da infância até 2017, ano em que terminou os estudos nos Estados Unidos.

Tendo a Internet como principal aliado e âncora na divulgação, Maro disponibilizou no portal Youtube dezenas de vídeos com músicos que passaram por Berklee, com quem gravou o álbum de estreia, e também as gravações feitas nos últimos dois anos, de duetos à distância com artistas como Antonio Sanchez, Eric Clapton, Mayra Andrade, Maria Gadú, Luísa Sobral, Rui Veloso, Ivan Lins, Pablo Alborán, António Zambujo, Silvia Pérez Cruz e Dino D’Santiago.

Em 2018, em entrevista à agência Lusa quando lançou a terceira parte do álbum de estreia, afirmou que queria ter completa liberdade para se movimentar em diferentes géneros musicais, da música eletrónica ao r&b e à pop, e revelou que deve a Milton Nascimento a vontade de ser artista.

“Ele é das razões mais óbvias pelas quais estou a cantar”, disse.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com