Conecte-se connosco

Coimbra

Manuel Machado vai presidir à Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra

Publicado

em

[flagallery gid=115 name=Gallery]

Manuel Machado (Coimbra)  vai presidir à CIM – Região de Coimbra.  José Carlos Alexandrino (Oliveira do Hospital) e Ricardo Alves (Arganil) assumem a vice-presidência. Eleitos por unanimidade pelos 18 presidente de câmara presentes na reunião que está a decorrer na Câmara Municipal de Coimbra. O presidente do município da Lousã optou pela ausência.

Jorge Bento, ex-presidente da autarquia de Condeixa e da CIM – Baixo Mondego foi eleito, por unanimidade e aclamação, secretário executivo da nova comunidade

Uma proposta, mantendo Manuel Machado para a presidência e os presidentes das câmaras da Figueira da Foz, João Ataíde (PS), e de Cantanhede, João Moura (PSD) para vice-presidentes, não chegou a ser votada por ter sido retirada pelo seu autor, o socialista Rui Marqueiro, autarca da Mealhada.

Os 18 autarcas aprovaram ainda algumas propostas, designadamente no sentido de delegarem competências na presidência da CIM, para avaliar a necessidade de a Comunidade ter ou não um ou dois secretários e, por outro lado, para negociar com a Fundação CEFA (Centro de Estudos e Fundação Autárquica) a sua instalação no edifício desta instituição na Rua do Brasil, em Coimbra, onde deverá começar a reunir na segunda terça-feira de cada mês.

“Esta CIM vai assumir um papel determinante nas candidaturas a fundos comunitários”, sustentou João Ataíde, apelando para que a entidade seja “configurada de modo a que possa maximizar a ambição” dos municípios que a integram e “minimizar os custos”.

A Comunidade de Coimbra deve dar prioridade ao “princípio da solidariedade ao nível do território”, deve ser “forte e coesa”, defendeu José Carlos Alexandrino, sublinhando que esta “é a maior CIM do país, logo a seguir às áreas metropolitanas” de Lisboa e Porto.

“O reforço da coesão territorial, a solidariedade e a equidade são princípios que têm de estar sempre presentes” na estratégia e ação desta Comunidade, afirmou Ricardo Pereira Alves, enquanto o presidente da Câmara de Soure, Mário Jorge Nunes (PS), sublinhou que o facto de o seu concelho ser pequeno não o pode tornar “ainda mais periférico”.

No final da reunião, Manuel Machado disse aos jornalistas que a sua eleição “corresponde a um ato de confiança” dos seus “vizinhos mais próximos” para o desenvolvimento que “anseiam” para cada concelho e para “a região no seu todo”.

Sem adiantar quais serão as principais prioridades da Comunidade, defendendo que elas deverão ser previamente debatidas com os seus pares, Machado assegurou que será dada “uma atenção redobrada aos fundos comunitários”.

O presidente da Câmara da Lousã não pode participar na reunião, mas manifestou a sua total solidariedade com “as decisões que nela viessem a ser tomadas”, explicou Machado.

A CIM da Região de Coimbra reúne os dez municípios que formavam a Comunidade Intermunicipal do Baixo Mondego (Cantanhede, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Figueira da Foz, Mealhada, Mira, Montemor-o-Velho, Mortágua, Penacova e Soure) e nove autarquias da Comunidade do Pinhal Interior Norte (Arganil, Góis, Lousã, Miranda do Corvo, Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Penela, Tábua e Vila Nova de Poiares), que era constituída por 14 concelhos.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link