Conecte-se connosco

Autárquicas

Manuel Machado promete que devolverá metade do IRS e do IRC

Publicado

em

Manuel Machado foi hoje ao Clube dos Empresários de Coimbra anunciar as medidas que tomará para “transformar Coimbra numa cidade amiga do investimento” quando for presidente da Câmara.  De acordo com os seus serviços de comunicação essas medidas passam, desde logo, pela devolução aos munícipes de 50% da cobrança do IRS e do IRC municipais como forma de atrair para Coimbra novos residentes e, sobretudo, novas empresas.

“Com a liderança PSD/CDS o concelho tem autenticamente repelido quem nele quer investir”, diagnosticou o candidato socialista a presidente da Câmara. “É preciso virar essa página negra que fez o nosso concelho perder seis mil pessoas nos últimos dez anos e relançar o futuro: é necessário atrair investimento, criar emprego e aumentar o rendimento disponível de pessoas e de empresas. A diminuição de impostos e taxas municipais será um primeiro passo”.

Na mesma ocasião Manuel Machado manifestou também a intenção de dar um sinal de baixa das taxas do IMI e do IMTI (Imposto Municipal sobre Transações Onerosas de Imóveis), mas não avançou com o montante da redução: “Devido à dimensão da dívida deixada pelo PSD/CDS, essa redução do IMI e do IMTI que iremos fazer terá de ser ponderada em função da real situação das finanças municipais”.

Para compensar esta perda de receita Manuel Machado avisou que será imprescindível racionalizar os serviços municipais. “Há um esforço de eficiência que tem de ser feito para ultrapassar a dívida tremenda que nos será legada”, afirmou o candidato do PS. “E terá de ser feita guerra ao esbanjamento, seja este a decoração caríssima das rotundas, seja este contratar nos novos palcos para as festas da cidade ao lado dos palcos existentes, seja este representações extravagantes em feiras em que o município participa”.

Para além das medidas de racionalização da carga fiscal para famílias e empresas, Manuel Machado transmitiu também à Direção do Clube dos Empresários de Coimbra, presidida por António Abrantes, as medidas que tem pensadas para relançar o tecido económico da cidade. Em primeiro lugar, diplomacia económica: “Há, sobretudo na China e no Brasil, um potencial de investimento em Coimbra – na marca Coimbra – que tem sido desperdiçado. Iremos ativá-lo nós, e com grande vigor!”, prometeu o candidato.

Há igualmente a ideia de repensar o IParque, por forma a torná-lo mais atrativo para as empresas que querem investir em Coimbra. “É urgente rever o regulamento, porque assim como está não consegue empresas, é preciso ajustar o preço dos terrenos, é necessário criar bonificações a quem for contratar pessoas às instituições de ensino superior da cidade”, disse Manuel Machado. “E é preciso, ao mesmo tempo, abrir o IParque às tecnologias da saúde”.

O candidato do PS deu igualmente um grande ênfase ao eixo turismo-cultura como forma de relançar vários sectores empresariais da cidade. “O nosso objetivo é em dois anos conseguir aumentar a permanência média dos turistas em Coimbra de uma para duas noites”, anunciou. Segundo Manuel Machado isso faz-se com uma programação cultural mais consistente, com a melhoria das comodidades da cidade (transportes, estacionamento de carros e autocarros, parque hoteleiro, etc) e, sobretudo, com a criação de incentivos à permanência como um “Coimbra Passe Turismo”.

“Esse ‘Passe Turismo’ dará não só acesso a museus e monumentos, mas permitirá também estacionar um veículo, usar os transportes públicos da cidade, entrar em espetáculos culturais ou ter acesso a discotecas sem consumo obrigatório”, explicou Manuel Machado. “Será, pela sua acessibilidade, um incentivo real a que as pessoas fiquem pelo menos mais uma noite em Coimbra”, acrescenta o candidato através de nota de imprensa que acabamos de reproduzir.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com