Região

“Manel do Choupal” desaparece antes de se tornar no cão “Maravilha”

NOTÍCIAS DE COIMBRA | 1 ano atrás em 10-06-2023

O “Manel do Choupal”, o cão que foi encontrado por um homem, no mês de abril, junto ao Centro Hípico, em Coimbra, encontrou um lar. Mas, o pior aconteceu e o patudo conseguiu fugir.

PUBLICIDADE

A história começa com uma mulher, com cerca de 70 anos, residente no concelho de Miranda do Corvo, que a 20 de abril, entrou em contacto com a Condeixa Pa’tudos – Associação De Proteção Animal para ficar com o “amigo de quatro patas”.

“Quando vi a história percebi imediatamente que queria ficar com ele. Precisava de um cão para ter companhia”, começa por contar a atual tutora do cão. A mulher prossegue a explicação dizendo que entrou em contacto com a associação. “Ao qual me disseram que, perante a lei, tinha de aguardar uns dias para ver se o dono aparecia e para o cão ser vacinado, desparasitado e para lhe ser colocado um microship de identificação”, relata.

PUBLICIDADE

Os dias passam e foi a 16 de maio, que a septuagenária se dirige até à clínica veterinária de Antanhol, em Coimbra, para ir buscar o “Manel do Choupal”, onde estavam presentes a presidente da Condeixa Pa’tudos e Jorge Manuel Mendes, o homem que encontrou o cão.

“Eu estava tão feliz e ele também. Entrou logo para a mala do carro, correu tudo bem na viagem, estava todo contente. Tinha-lhe arranjado o terraço e a marquise para ele ficar bem acomodado”, conta.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

“Até já estava a pensar em apelidá-lo de ‘Maravilha’ porque gosto muito do apresentador João Manzarra e ele tinha um cão com esse nome”, revela a cidadã.

É no dia a seguir, a 17 de maio, que o pior acontece. “Fui passear com ele de manhã para ele conhecer a zona. Entretanto chegámos e atei um cordel à trela, prendi a um poste enquanto limpava o espaço onde ele ficou durante a noite. Fui buscar as coisas para limpar, troquei ‘dois dedos de conversa’ com a vizinha e quando volto, nada. Nem cão, nem cordel”, lamenta.

“Vim para a rua à procura dele. Liguei à associação, fui para as redes sociais dar conta que ele tinha desaparecido e até agora nada. Não sei nada dele e estou preocupada. Não sei mais o que fazer”, refere a mirandense.

A mulher apela a quem tenha informações ou visto o “Manel do Choupal” para entrarem em contacto com a associação de animais de Condeixa.

Recorde-se que o animal foi encontrado por Jorge Manuel Mendes, o homem que passeava com os seus animais na Mata do Choupal, em Coimbra, a 19 de abril. O conimbricense perante a situação não ficou indiferente e decidiu deslocar-se ao Canil Municipal para dar conta do sucedido. Alega que a estrutura se negou a acolher o animal.

“O animal estava abandonado e perdido no Choupal, como adoro animais, consegui acolhê-lo e como não sabia o que fazer, dirigi-me ao Canil na expetativa que tomassem conta dele”, explicou Jorge Manuel Mendes, na altura, ao Notícias de Coimbra.

O nosso jornal contactou, na altura, a autarquia que admitiu que o canil estava “completamente lotado” e por isso informou o homem que “não seria possível acolher o animal”. A Câmara diz que no espaço tutelado pelo vereador Francisco Queirós “foram efetuados todos os esforços para encontrar o dono” do cão.

Segundo a mesma, “ainda no canil, foram tiradas fotografias ao cão, foi verificado se o mesmo tinha microship e foi efetuada uma publicação a dar conta do sucedido nas redes sociais, nomeadamente na página dos animais desaparecidos e encontrados em Coimbra”.

A 20 de abril, o cão foi acolhido pela Condeixa Pa’tudos – Associação De Proteção Animal De Condeixa, onde “passou a noite protegido”, lia-se na página do Facebook da instituição. O “Manel Choupal” irá esta quinta-feira ” à clínica para ser desparasitado, pôr o chip e  ser avaliado o plano vacinal e o seu estado geral de saúde”, escreve a associação, sublinhando que o canino “parece estar debilitado e maltratado e com medos, mas é um cão muito meigo e muito simpático, embora haja indícios de ter vivido com uma corrente”.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE