Conecte-se connosco

CHUC

Linhares Furtado e Fátima Ferreira são os rostos do primeiro transplante hepático realizado há 30 anos em Coimbra (com vídeos)

Publicado

em

Fotografia de Luís Ferreira

Há 30 anos foi realizado o primeiro transplante hepático em Coimbra, no Centro Hospitalar e Universitário, pelo cirurgião Alexandre Linhares Furtado. Esta quarta-feira, 26 de outubro, foi celebrado esse dia no polo 3 da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra com uma cerimónia evocativa. 

Alexandre Linhares Furtado e Fátima Ferreira, a primeira doente que recebeu um transplante de fígado, marcaram presença neste momento. Ao Notícias de Coimbra, o cirurgião recordou que a operação, realizada a 26 de outubro de 1992, “foi uma noite de muitas horas a discutir”.

“Foi o primeiro transplante nacional de urgência e de uma grande responsabilidade médica. Mas tive felizmente muitos colegas, não pertencendo formalmente à equipa, que juntaram-se do ponto de vista médico e aconselharam-me”, acrescentou Linhares Furtado, que deixou de exercer em 2003.

Até à data de hoje o CHUC realizou 1579 transplantes hepáticos. Em 2021 já tinham sido concretizados 1500, que representaram uma taxa de transplantes de adultos superior a 35 por milhão de habitantes, “excedendo largamente a taxa nacional para o mesmo ano”. Dessas 1579 cirurgias, Linhares Furtado partilhou que fez parte da equipa em cerca de 500 a 600.

Deixou ainda um conselho para todos os estudantes e profissionais: “É importante que cumpramos os nossos deveres. E quando se está na universidade um dos deveres é contribuir para o progresso. Esse foi sempre o meu lema. A rotina faz-se, mas o objetivo é o progresso. Não há limite para a doação do trabalho pessoal”, sublinhou.

Fátima Ferreira, de 60 anos e de Aveiro, foi operada de urgência há 30 anos por Linhares Furtado no Hospital Universitário de Coimbra e garante que esse dia mudou a sua vida. “A partir dessa data a minha vida mudou. Ganhei muita qualidade de vida. Tive uma hepatite B fulminante, rapidamente entrei em pré-coma, depois coma e, quando acordei, já estava transplantada. É uma alegria ao fim de 30 anos estar cá e poder homenagear também o médico Linhares Furtado”, disse.

O evento comemorativo, para além de evocar temas como a memória do início da transplantação hepática em Coimbra, o seu passado, o presente e o futuro, contou com sessões temáticas relacionadas com a qualidade e segurança da transplantação hepática, a intervenção chave no processo de dador e recetor e a certificação dos profissionais nesta área.

Veja os vídeos dos diretos do NDC:

Fotografia de Luís Ferreira

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com