Opinião

Liberdade incondicional

OPINIÃO | Angel Machado | 2 meses atrás em 13-02-2024

Não há limite entre a nossa consciência e aquilo que fazemos. Nem tudo o que pensamos é contributo para a humanidade. Mas a avaliação é necessária, quando queremos manifestar o pensamento em público. Perguntei a um jovem, recentemente, o que ele estava a fazer para mudar o mundo. Não me espantou a sua resposta; ele, simplesmente, não está a fazer muita coisa, limita-se a acompanhá-lo como todos nós. 

PUBLICIDADE

As gerações são todas diferentes, e todas, também, mudaram o mundo à sua maneira. Quando olhamos para trás, não nos lembramos de tudo, mas sabemos que temos uma história e um passado que não é só nosso. Sim, eu ainda penso e ajo como a minha mãe. Não tenho filhos e isso foi uma escolha. Sinto-me uma mulher deste tempo, onde nem tudo é preto ou branco, há, felizmente, outras cores onde é possível sermos felizes. Não me sinto menos mulher, embora a sociedade viva, ainda, marcada por dicotomias redutoras. 

Todos sentimos a necessidade de inventar a vida que queremos viver, e isso é uma urgência. E nela cabem os afetos, a compreensão, as conversas, o riso e a pele. Às vezes, tenho a sensação que, quando tinha vinte anos, quase tudo era mais fácil do que agora. Talvez seja uma quimera, mas o mundo, possivelmente, poderia ter sido salvo pela minha geração. 

PUBLICIDADE

publicidade

Aproximei-me da Arte para reencontrar a reflexão da História da Humanidade, aquela que concilia as diferenças em todas as artes, onde o humanismo permite encontrar algumas respostas e entender o meu comportamento evolutivo e inquieto. A rebeldia de hoje entristece-me, a hiperconectividade deixa as nossas vidas exaustas. Deixámos de pensar em conjunto, passámos a envelhecer sozinhos. Não ouvimos mais o galo cantar no quintal, a nossa vida depende quase, exclusivamente, de uma conexão. 

A esperança, para mim, não aparece ligada à política, à religião ou ao futebol. A minha vida decide seguir a corrente dos rios, o pulsar das pessoas boas, o ritmo da música que nos convida a imaginar que o mundo não está perdido; o livre arbítrio pode salvar os pequenos gestos. No entanto, nas páginas em branco, dos dias de outrora, nascem  palavras dedicadas aos pássaros, porque elas são as asas da liberdade incondicional.

PUBLICIDADE

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE