Conecte-se connosco

Região

Leiria desliga iluminação de fontes e monumentos para poupar energia

Publicado

em

A Câmara de Leiria vai desligar a iluminação de fontes e monumentos municipais com vista a reduzir o gasto energético, sendo estas algumas das medidas apresentadas hoje, a que se juntam outras para poupar água.

Desligar a iluminação cénica das fontes públicas que consumam grandes quantidades de energia, nomeadamente as Fonte Luminosa, Fonte da Zona Desportiva e fontes do Jardim Luís de Camões e desligar as luzes de todos os monumentos e edifícios municipais, com exceção do Castelo de Leiria, a partir das 00:00, são algumas medidas que constam no Plano Municipal de Poupança e Eficiência Energética, apresentado hoje em reunião de executivo pelo vereador Carlos Palheira (PS).

Contextualizando que a “Europa atravessa uma situação difícil em relação à energia”, o autarca considerou que as dez medidas apresentadas hoje “visam mitigar os consumos e tornar os equipamentos o mais eficientes possível”.

Carlos Palheira adiantou ainda que serão lançadas campanhas de sensibilização, que pretendem “influenciar comportamentos”.

Uma das campanhas previstas será nas escolas do concelho, já que são equipamentos “com grande consumo de energia”.

O exemplo será ainda dado no edifício camarário, onde os funcionários serão sensibilizados a reduzir os gastos energéticos através de pequenos gestos, como desligar os monitores e os computadores e deixar entrar a luz natural nas salas.

“Iremos depois realizar auditorias energéticas nos edifícios municipais para mostrar a poupança”, salientou, referindo ainda que serão instalados painéis fotovoltaicos para produção de energia em edifícios municipais.

A Câmara irá ainda diminuir a intensidade da iluminação em algumas zonas urbanas a partir de determinada hora da noite, “sem colocar em causa a segurança de pessoas e bens”, assim como promover ações de sensibilização junto do setor comercial.

Perante a seca que assola o país, o vereador Luís Lopes (PS) apresentou um reforço das medidas para melhor gestão de água que já tinham sido anunciadas em fevereiro, salientando que a autarquia vai continuar a avaliar as disponibilidades hídricas existentes e a identificar os recursos disponíveis no espaço concelhio que poderão ser mobilizáveis em caso de agravamento da situação.

As campanhas que visam a poupança de água vão continuar, estendo-se às escolas para sensibilizar os mais novos para o uso eficiente do recurso hídrico.

O Município de Leiria vai adotar boas práticas de rega, programando para o período noturno e utilizando a água do rio, e interditar temporariamente o uso de água da rede para usos não potáveis, como a lavagem de ruas.

Luís Lopes anunciou ainda a possível redução de pressão da água em alguns locais do município.

“Sendo a água um extintor universal naquilo que é o combate aos incêndios rurais, temos tentado que haja uma redução na utilização de água no combate, sem colocar em causa a eficácia e eficiência do mesmo”, afirmou, apontando a possibilidade de uso de fontes alternativas de água para as missões de proteção e socorro, como águas pluviais ou residuais tratadas.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade