Conecte-se connosco

Coimbra

José Manuel Silva teve de escolher entre Celeste Amaro e a equipa do Convento São Francisco (com vídeo)

Publicado

em

Celeste Amaro esteve menos de uma semana à frente da programação do Convento São Francisco, em Coimbra. Foi afastada por não ter tido um “entrosamento perfeito” com a equipa que tem garantido a assessoria artística e cultural desde o início da atividade do equipamento municipal, explicou José Manuel Silva. 

“Quando não há integração de todos os elementos numa equipa é preciso resolver, foi isso que tivemos de fazer. Iremos proceder exatamente mesma linha,  trabalhando em conjunto com a mesma equipa que tem assegurado a programação desde que ele abriu”, afirmou o presidente da Câmara Municipal de Coimbra no final da reunião de Câmara que decorreu esta segunda-feira.  “É evidente que não houve um entrosamento perfeito entre a equipa e a doutora Celeste Amaro”, acrescentou.

“Quando há circunstâncias que afetam o funcionamento de uma equipa há que precocemente proceder à resolução dos problemas que surgem”, disse José Manuel Silva, agradecendo a disponibilidade da antiga diretora regional da Cultura do Centro.

O Notícias de Coimbra, que avançou a informação do afastamento ao início da tarde, sabe que José Manuel Silva se viu confrontado com uma escolha: se Celeste Amaro ficasse, sairia a equipa que tem assegurado o funcionamento e programação do Convento. O autarca lamentou “os constrangimentos criados à doutora Celeste Amaro” que convidou, mas referiu que agora teve “de assumir uma posição distinta” por estarem em causa “circunstâncias que afetam o funcionamento de uma equipa”.

“Fui contra o poder instalado, contra as elites instituídas e a favor da democratização da cultura e reconciliação do Convento com a cidade, porque considero que este equipamento cultural é de e para a cidade”, escreveu Celeste Amaro numa publicação no Facebook dando conta da sua saída. “O Convento tem capacidade para ser rentabilizado muito mais do que tem sido até aqui com uma programação mais transversal e eclética, capaz de chegar a todos os públicos, o que não se tem verificado ao longo dos seus seis anos de existência”, acrescentou. 

Questionado pelo NDC sobre quando será indicado um nome para substituir Celeste Amaro, José Manuel Silva esclareceu que a decisão “terá que ser tomada com alguma brevidade, mas sem stress algum”, uma vez que “a programação já está garantida até final de setembro”, tendo sido “deixada fechada pela arquiteta Isabel Worm” que exerceu o cargo até 13 de fevereiro. “Até eu gostava de ser programador do Convento São Francisco, mas não tenho tempo para isso”, rematou o autarca. 

Veja o direto NDC com as declarações de José Manuel Silva:

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link