Conecte-se connosco

Coimbra

José Manuel Silva candidata-se a Coimbra em coligação com sete partidos (com vídeos)

Publicado

em

O vereador na oposição e ex-bastonário da Ordem dos Médicos José Manuel Silva vai liderar uma coligação com sete partidos à Câmara de Coimbra, contando ainda com a participação “informal” do movimento pelo qual foi eleito em 2017.

Na coligação, intitulada “Juntos Somos Coimbra”, estão presentes os partidos PSD, CDS-PP, Nós, Cidadãos, PPM (Partido Popular Monárquico), Volt, RIR (Reagir, Incluir e Reciclar, liderado por Vitorino Silva) e o Aliança, afirmou José Manuel Silva, atual vereador eleito pelo movimento independente Somos Coimbra, que garantiu que estará representado no projeto, ainda que informalmente.

“Somos a maior coligação que alguma vez se constituiu em Coimbra e provavelmente uma das maiores no país. Obviamente, apenas os sete partidos políticos poderão entrar formalmente na coligação [movimentos de cidadãos não podem fazer coligações com forças partidárias], mas está nela o espírito e as pessoas do Somos Coimbra, através do partido Nós, Cidadãos”, explicou aos jornalistas o candidato, no final da apresentação da coligação, que decorreu no exterior do Convento São Francisco.

 

José Manuel Silva não vai integrar a lista de nenhum dos partidos, sendo indicado por todas a forças que integram a coligação no processo de entrega da candidatura a Coimbra, referiu.

Já os restantes membros do Somos Coimbra que vão participar na candidatura “irão como independentes na lista do partido Nós, Cidadãos”, porque “a legislação obriga a que todos os independentes que participem numa coligação tenham que integrar a lista de um partido, ainda que como independentes”, aclarou.

Como todos os elementos que vão entrar pela lista do Nós, Cidadãos são do movimento fica salvaguardado que qualquer membro do Somos Coimbra que não possa estar presente numa reunião é substituído por um elemento “da mesma força”, frisou.

Questionado pela agência Lusa sobre se esta coligação não poderá levar ao desaparecimento do movimento, que deixa de ter elementos eleitos, José Manuel Silva realçou que “o movimento continuará a ter uma intervenção cívica, construtiva, independente e crítica”.

José Manuel Silva referiu que a formação das listas estão numa fase final, realçando que todos os atuais presidentes de juntas de freguesias eleitos pelo Somos Coimbra ou pela coligação Mais Coimbra (PSD/CDS-PP/PPM/MPT) em 2017 foram convidados a recandidatarem-se.

 

No discurso, o candidato salientou que a candidatura existe “porque Coimbra não pode continuar a morrer todos os dias orgulhosamente só, rainha de um mundo que já não existe”.

Num longo diagnóstico, onde apontou para problemas na falta de criação de emprego, capacidade de atração de jovens ou no baixo investimento na cultura, José Manuel Silva realçou que Coimbra já não é “a terceira cidade, nem a quarta, nem a quinta, nem a décima, nem a vigésima” do país.

José Manuel Silva propõe uma Câmara digitalizada e desburocratizada, cosmopolita, aberta ao diálogo e capaz de atrair mais empresas, prometendo 112 medidas de desenvolvimento para a cidade, que permitam atrair “ativamente para Coimbra 100 ou 200 novas empresas de média e grande dimensão”.

Nas últimas eleições, o PS conquistou cinco mandatos, a coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM conseguiu três e o movimento Somos Coimbra alcançou dois e a CDU um.

Este ano, as autárquicas ainda não têm data, mas, segundo a lei, ocorrem entre setembro e outubro.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com