Conecte-se connosco

Região

Jorge Custódio inicia “missão de uma vida” na Pampilhosa da Serra

Publicado

em

Realizou-se, na tarde de ontem, a cerimónia de tomada de posse dos órgãos eleitos da Assembleia Municipal e da Câmara Municipal de Pampilhosa da Serra. Após oficializada a tomada de posse, sob compromisso de honra, por parte dos membros eleitos a ambos os órgãos autárquicos, teve início o discurso do Presidente da Câmara Municipal de Pampilhosa da Serra, Jorge Alves Custódio.

No momento em que deu início àquela que disse ser a “missão de uma vida”, Jorge Custódio, começou por expressar o orgulho em “ser da serra”, uma condição inerente às gentes do território, que para o autarca é sinónimo “de ser trabalhador, ser verdadeiro, genuíno, humilde, ser simples no trato e na forma de estar”.

“Para além dos muitos motivos” que estiveram na origem desta candidatura, o Presidente da Câmara Municipal agora empossado, frisou que o principal intento passou por “pugnar e reivindicar por melhores condições” para os Pampilhosenses, que considerou um povo “resiliente e resistente, que não desiste da sua terra” e da “sua serra”.

Jorge Custódio criticou ainda a “abordagem governativa, muitas vezes desequilibrada” que os “sucessivos Governos Centrais” têm demonstrado perante o interior do país, reclamando uma “descriminação positiva para estes territórios”.

No imediato, sem querer “entrar num discurso pesaroso e condicionalista”, e porque não há “tempo” nem “oportunidades” a perder, foi anunciada uma restruturação célere dos serviços da Câmara Municipal, de modo a possibilitar uma maior eficácia no momento de “aceder aos novos quadros comunitários” (Plano de Recuperação e Resiliência, Plano de Recuperação do Pinhal Interior e o Quadro Europeu 20/30).

Elencando um conjunto de intervenções estruturantes, Jorge Custódio anunciou que este “será também um mandato de obras públicas significativas”, sendo que a Retificação da Estrada Nacional 344, a retificação da Estrada Municipal entre a Portela de Unhais e Dornelas do Zêzere, o projeto de arranjo urbanístico da zona do “Cabecinho”, ou requalificação do sistema de águas e saneamento na Amoreira e Pessegueiro, foram apenas alguns dos exemplos mencionados.

Para além das obras, o Autarca sublinhou que um dos grandes desígnios deste mandato passa por contrariar uma “ameaça enorme”, não só do concelho como de grande parte do país: “a desertificação”. “As políticas de fixação de pessoas nestes territórios, é um problema de todos. Para tal, cabe às entidades públicas Nacionais e Locais darem sinais e apoios que permitam a reversão desta situação”, declarou Jorge Custódio.

O Presidente da Câmara Municipal dedicou ainda palavras de “saudação” a todos os “adversários políticos do último confronto eleitoral”, pois, no seu entendimento, “a diversidade é uma das maiores riquezas” do território. “O respeito, por essa diversidade, aproxima-nos da coesão e da união, na mesma medida em que a troca de ideias e convicções, incita ao progresso e inibe a estagnação”, completou.

De uma forma particularmente emotiva, o discurso ficaria marcado por palavras de agradecimento aos presidentes da Assembleia Municipal e da Câmara Municipal cessantes, Hermano Almeida e José Brito, respetivamente. “Rigor”, “seriedade” e “competência”, foram os predicados dirigidos a Hermano Almeida, pela forma com que geriu os destinos de um órgão autárquico de “relevância” inquestionável. Não menos efusivos foram os elogios deixados ao ex-Presidente da Câmara Municipal, “um homem de trato inexcedível”, a quem Jorge Custódio expressou a sua admiração pelo “trabalho”, “caráter” e pela forma com que abraçou a causa pública movido pelo amor que dedica ao concelho. “Fica um legado notável e uma herança de exceção que todos nós lutaremos para honrar”, completou.

Num apelo à “união” e à “convergência”, as últimas palavras do discurso foram dedicadas aos Pampilhosenses. Para Jorge Custódio, é altura de fazer “tudo o que estiver ao nosso alcance pela nossa Serra, pela nossa Pampilhosa da Serra”. “Dou início a esta jornada movido pela fé de que é aqui, no interior, que está a verdadeira riqueza”, vincou o Presidente da Câmara Municipal, concluindo que, apesar das possíveis dificuldades futuras, há pela frente a “possibilidade de traçar novos horizontes” e de lutar “com competência e dedicação” pela felicidade que todos os Pampilhosenses merecem.

Ao discurso, seguir-se-ia um vídeo que cruzou o passado, o presente e o futuro do concelho, que serviu igualmente para recordar alguns dos mais icónicos momentos da história do concelho, assim como todos os ex-Presidentes da Câmara Municipal de Pampilhosa da Serra.

Depois da cerimónia de Tomada de Posse dos Órgãos Eleitos, teve lugar a 1º reunião da Assembleia Municipal.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link