Conecte-se connosco

Politécnico

Jorge Conde reeleito presidente da Rede Académica das Ciências da Saúde da Lusofonia

Publicado

em

Jorge Conde, presidente do Politécnico de Coimbra, foi reeleito presidente da Rede  Académica das Ciências da Saúde da Lusofonia (RACS) no passado dia 9 de dezembro.  A nova direção tem ainda como presidente da Mesa da Assembleia Geral António  Almeida Dias, do Instituto Universitário de Ciências da Saúde e Instituto Politécnico de  Saúde do Norte (CESPU), e como presidente do Conselho Fiscal João Fernando Manuel,  da Universidade 11 de Novembro, Cabinda, Angola. 

A Rede Académica das Ciências da Saúde da Lusofonia (RACS) foi criada há cinco anos  e reúne escolas de saúde de Portugal, Angola, Brasil e Cabo Verde, com o intuito de  promover a formação e a cooperação científica na área das ciências da saúde, entre  instituições de ensino superior e centros de investigação de países e comunidades de  língua portuguesa. 

A RACS encontra-se em plena fase de expansão junto de mais de 550 instituições de  ensino superior da área da saúde, no espaço lusófono, registando atualmente meia centena  de membros efetivos e entidades parceiras, de sete países de língua portuguesa,  abrangendo mais de 90.000 estudantes e 4.500 docentes.  

Segundo Jorge Conde, o mandato que agora se inicia visa consolidar as estratégias  iniciadas no anterior e que a pandemia atrasou. “A saúde e o seu ensino assumem cada  vez mais um papel determinante nas estratégias governamentais pelo que a RACS tem  alinhado a sua missão, tendo em conta esse facto. As instituições de ensino de Portugal,  que é um País líder no ensino da saúde, assumem o compromisso de continuar a criar uma  estratégia de qualidade de ensino para a lusofonia, refere o responsável. 

As prioridades para os próximos três anos são a ampliação da base social da RACS, quer  no espaço lusófono com novos associados efetivos quer entidades parceiras e associados  afiliados no palco ibero-americano e outras regiões do globo e a consolidação da estrutura  orgânica e funcional da RACS e dos seus serviços internos de apoio. Reforçar a  divulgação internacional da RACS, fortalecer a promoção do intercâmbio e o  desenvolvimento da cooperação em ciências da saúde no espaço lusófono,  nomeadamente, com a realização de reuniões internacionais multidimensionais e  alavancar os vários e jovens projetos da RACS, onde se destacam o Programa para  Mobilidade Académica – MOTUS, a revista científica internacional RevSALUS e o  Observatório do Ensino Superior da Saúde em territórios de língua portuguesa – OESSP,  entre outros, são outros destaques do trabalho a realizar neste triénio.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link