Conecte-se connosco

Joaquim Lourenço quer governar Lousã de forma diferente

Publicado

em

Joaquim Lourenço, candidato do PSD à Câmara da Lousã,  aposta num sistema de transportes públicos “integrados com Coimbra”.

joaquim lourenço

Joaquim Lourenço disse hoje à agência Lusa que o município da Lousã, no distrito de Coimbra, deve “facultar às pessoas transportes rápidos, baratos e alternativos ao carro”.

O candidato do PSD, de 45 anos, questiona a “solução Metrobus”, cujo estudo, apresentado pelo Governo na sexta-feira, em Coimbra, Miranda do Corvo e Lousã, prevê que 43 autocarros elétricos venham a circular na rede urbana, na capital do distrito, e no ramal ferroviário que ligou estes concelhos até janeiro de 2010.

Para Joaquim Lourenço, que é vereador no actual executivo liderado pelo PS,  a apresentação deste modelo de transporte de passageiros, na presença do ministro do Planeamento das Infraestruturas, Pedro Marques, suscita “muitas dúvidas e incertezas”.

Presidente do conselho diretivo dos Baldios da Lousã durante uma década, entre 2005 e 2015, fundou há cinco anos um projeto familiar na área do turismo que abrange uma loja de artesanato e várias casas tradicionais para alojamento, no lugar do Talasnal, na Serra da Lousã, integrado a rede Aldeias do Xisto. É ainda gerente de um estabelecimento comercial, propriedade da família, no Reguengo, na freguesia das Gândaras.

“Disponibilizo-me para governar o concelho de uma maneira diferente. Há um oceano de divergências que me separam da atual gestão do PS”, afirmou Joaquim Lourenço.

A sua candidatura pretende “criar riqueza e emprego no concelho”, incentivando as pessoas “a fazerem melhor” e levando a autarquia “a não andar a enrolar” na relação com as empresas, as coletividades e as instituições de solidariedade social, designadamente no apoio aos idosos.

Ana Paula Sançana, diretora executiva da Cooperativa Lousãmel, volta a ser a primeira candidata do PSD à Assembleia Municipal, após ter sido eleita para este órgão, nas autárquicas de 2013.

Vítor Carvalho, presidente da Comissão Política Concelhia do PSD, vai figurar em segundo lugar na lista para a Câmara.

Na Lousã, o Bloco de Esquerda foi a primeira força política a apresentar publicamente a sua candidatura à Câmara, protagonizada pela independente Maria Clara Aguilar, professora de História, de 46 anos, numa sessão, em abril, com a presença da porta-voz do BE, Catarina Martins.

Há um mês, o presidente da autarquia, o socialista Luís Antunes, que entrou para o executivo em 1997 como vereador, sob a presidência de Horácio Antunes, seu pai, assumiu igualmente há um mês que vai recandidatar-se a um segundo mandato no cargo.

lousã

O PS lidera a Câmara Municipal desde 1982, tendo assegurado seis mandatos no executivo nas últimas eleições, enquanto o PSD elegeu Joaquim Lourenço, vereador sem pelouros.

Além destes dois partidos, o BE e a CDU estão também representados na Assembleia Municipal, com um deputado cada.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade