Conecte-se connosco

Política

João Oliveira contestou hoje que o PS equacione um Governo “das soluções limianas”

Publicado

em

O dirigente comunista João Oliveira contestou hoje que o PS equacione um Governo “das soluções limianas”, mas rejeite uma convergência com a CDU e que impedirá que a política de direita seja uma “marca de água”.

Em dia completamente dedicado à região do Algarve e ao repto de “convergência” feito ao PS, João Oliveira aproveitou todas as oportunidades para insistir na necessidade de clarificação que diz que se impõe ao PS. Primeiro em São Bartolomeu de Messines (Silves), depois em Lagos e à noite em Faro, durante um comício.

Perante um auditório da Universidade do Algarve cheio de apoiantes da CDU, o líder parlamentar do PCP apontou às hipóteses apresentadas pelo PS para o pós-eleições.

O PS foge da “convergência” a que os comunistas apelam e na ótica do deputado do PCP ensaia uma maneira de assegurar que “a política de direita, que é a sua marca de água, se concretize e sem qualquer condicionamento”.

“Já se percebeu que tudo serve para esse objetivo. Seja pela maioria que querem, seja governando à peça, lei a lei com o PSD, como [António] Guterres fez, seja numa versão mais ou menos ecológica das soluções limianas”, sustentou.

A “única coisa que o PS quer afastar” é a convergência com a CDU, completou João Oliveira.

Depois, o membro da comissão política do Comité Central do PCP aproveitou que a memória dos apoiantes da coligação ainda estava fresca da participação no programa “Isto é Gozar com Quem Trabalha”, de Ricardo Araújo Pereira, transmitido no dia anterior, e entoou: “O aumento do salário é justo e necessário! O aumento do salário é justo e necessário!”.

Finalizando a volta ao Algarve, a comitiva da CDU vai regressar aos distritos de Lisboa e Setúbal durante o fim de semana, os dois círculos eleitorais onde a coligação elegeu o maior número de deputados há dois anos.

João Oliveira está a substituir o secretário-geral do PCP até ao início da próxima semana, enquanto Jerónimo de Sousa está a recuperar de uma cirurgia de urgência à carótida interna esquerda a que foi submetido em 13 de janeiro.

A campanha eleitoral da CDU começou por ser dividida com João Ferreira e o partido previa que o antigo eurodeputado comunista assumisse por inteiro a agenda do secretário-geral, enquanto João Oliveira prosseguiria com a campanha pelo distrito de Évora, por onde volta a ser o cabeça de lista.

No entanto, João Ferreira contraiu a covid-19 no início da semana e teve de abandonar a ‘volta’ da CDU.

Nas legislativas de 2019, a Coligação Democrática Unitária (CDU) – que integra o PCP, o PEV e a Associação Intervenção Democrática – obteve em Faro 7,05%, ou seja, 12.180 votos, e falhou a eleição de um deputado.

 

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link